Pages

terça-feira, 10 de abril de 2012

Que tal você mesmo reestatizar o BANESPA? Ou o BEMGE, BANERJ, BANEB, MERIDIONAL?

Se você tem conta em um banco privado e transfere sua conta para um banco estatal, junto com muitos outros brasileiros, o efeito é o mesmo que reestatizar aqueles bancos estaduais que foram privatizados.

A carteira de clientes e negócios daqueles bancos estaduais que foi vendida para um banco privado, voltará para um banco estatal.

Você pode fazer essa revolução silenciosa agora, com as próprias mãos, "sem dar um único tiro". Basta trocar sua conta de banco, privado para público.

Apesar de todas privatarias terem sido ruinosas para a nação, a pior privataria tucana não foi a da Vale, nem do setor elétrico, nem das teles. A pior de todas foi a dos bancos estaduais que, se era para desmantelá-los, deveriam ser incorporados aos bancos públicos sólidos (CEF, BB, BNB, BASA).

Quando o governo tucano privatizou o BANESPA, o BEMGE, o MERIDIONAL, o BANERJ, o BANESTADO, o BANEB, o BANDEPE, etc. privatizou-se a própria moeda. Isso porque na economia moderna, é o conjunto dos bancos que "criam" o dinheiro (e tem o poder de desestabilizar a moeda, também).

Quando os depósitos, as poupanças e os créditos sob controle estatal foram para os bancos privados, eles ficaram com a faca e queijo na mão para fazer a maior parte da política monetária. O próprio Banco Central virou um leão sem dentes, comendo na mão do chamado mercado.

Além do país quebrado, esse foi um dos maiores fardos que Lula recebeu em 2003. Foi preciso reerguer o BB, a CEF e o BNB, para retomar o papel de protagonista que estes bancos públicos tiveram para reduzir a crise de 2008 a uma "marolinha". E foi preciso regulamentar a portabilidade de contas e financiamentos bancários para dar poder de escolha do correntista diante do poder dos bancos.

Agora a presidenta Dilma volta à carga com o próximo passo, e usa a CEF (cujo controle é 100% estatal) para fazer uma grande derrubada na taxa de juros. Com isso, o Banco do Brasil (que é estatal, mas tem outros acionistas minoritários), acompanha para não perder mercado. O cartel dos bancos privados procuram resistir, apostando no comodismo do cliente que resiste em levantar do sofá e mudar de banco.

A estratégia dos privados é empanturrar a TV, jornais e revistas com propagandas fantasiosas em massa para não mudarem de banco, e só baixar juros para o cliente que der um ultimato avisando que vai mudar de banco.

Além disso, anúncios em massa fazem a alegria dos barões da mídia que, interesseiros, direcionam os noticiários e escalam os "especialistas" para dar opiniões, do jeito que os bancos privados gostam, contra a queda dos juros, atacando os bancos públicos.

Quem tem dívidas bancárias já tem um bom motivo pessoal para mudar de banco. Afinal quem não gosta de trocar um financiamento por outro com prestação mais barata? Mas mesmo quem não tem dívidas, há a motivação política para reestatizar pelo menos uma parte do setor bancário.

Talvez estejamos entrando na maior reforma econômica dos últimos anos, capaz de fazer outra revolução silenciosa, como a que aconteceu no governo Lula com a distribuição de renda fazendo milhões de brasileiros entrarem na classe média e proporcionando um surpreendente crescimento do mercado interno.

Se o mercado bancário for mais estatal do que privado, impondo juros civilizados com lucros menos exorbitantes, o dinheiro, através do crédito, fica mais acessível a todos os brasileiros, produzindo outro ciclo virtuoso para continuar dinamizando a economia e gerar cada vez mais e melhores empregos.

Para algumas pessoas pode ser chato trocar de banco, mas se ficar acomodado, pior é continuar vivendo num país sob a ditadura dos bancos privados.

Com toda a conjuntura desfavorável (pois a composição dos poderes no Brasil são majoritariamente de forças capitalistas conservadoras), Lula fez e Dilma está fazendo a sua parte. Cabe a cada um de nós também fazermos a nossa e reestatizarmos os bancos estaduais, com a simples mudança de conta. Do contrário, não adianta ter passado 8 anos gritando "Fora Meirelles".

10 Comentários:

Sousa Primo disse...

como fazer? dia 09/04/12 fomos ao BANCO Do BRSIL da nossa cidade e la o GERENTE diz que desconhece essa possibilidade de troca . e ele disse que o Banco nao trabalha com portabilidade . Pois temos um financiamento no ITAU, e com a noticia lida aqui no site dos AMIGOS DO PRESIDENTE LULA. gostaria de saber mais sobre isso . tinhamos que ter um numero de telefone . aguardo resposta .

Anônimo disse...

Meus amigos, este é um dos artigos mais lúcidos, inteligentes e edificantes que já encontrei entre os "blogs sujos". Repassem este artigo para os demais, precisamos desta revolução silenciosa. Seria um golpe de mestre contra a sanha financista dos banqueiros que se aproveitaram das más intenções neoliberais tucanas.
REPASSEM! REPASSEM! REPASSEM!

Anônimo disse...

gostei da ideia . estamos num mercado livre. isto e democratico. uma medida exemplar para os concorrentes nao explorar os seus clientes com os juros alto........

João do Rio disse...

Os Bancos, mais precisamente o Itaú estão cobrando mais juros sobre os inadimplentes para continuar não só com a inadimplência, mas também para tirar o prejúizo dos inadimplentes que não puderem pagar argumentando que ainda existem muitos inadimplentes. Os bancos estam manipulando para terem argumento para negociação.

zcarlos disse...

Olá ZéAugusto, por favor dê uma olhada no seguinte post e veja se, por acaso, você tem essa informação.
http://brasilmostraatuacara.blogspot.com.br/2012/04/onde-esta-essa-declaracao-da-angela.html
Será que a notícia foi plantada pelo PIG?
Obrigado e um abraço.
zcarlos
zcarlosferreira@hotmail.com

Luis disse...

Pessoalmente, eu detesto banco, qualquer um, acho uma praga, caras que te recebem com um cara armado te secando na porta, tudo é muito escroto, quebrava todos.

Marco Freitas disse...

Até chegar um "iluminado" e privatizar os dois.

jegue disse...

Caros amigos , decidí trocar de banco e levar junto um financiamento , porém descobrí que não compensa sair de uma instituição e migrar para o BB , pois as tarifas são absurdas , ou seja , aquilo que eu economizaria de juros será cobrado de outra maneira .
Como os bancos públicos querem conquistar novos clientes se insistem em extorquir seus correntistas ?
Diante deste quadro decidí ficar onde estou .

ANDRE disse...

jegue, como a Caixa é 100% estatal não tem a necessidade de aderir a um pacote de serviço, basta transferir o seu recebimento de salário.

Professor Eduardo Lima disse...

Um dos artigos mais inteligentes que já li.

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Devido os excessos de falta de educação e respeito de alguns comentaristas, e, para que o blog não tenha problema judicial, a partir de hoje o blog não publicará comentários anônimos.

Para você comentar usando seu nome, aqui vai o passo a passo.

1). Clique na palavra comentário no final do post

2). Ao abrir a página dos comentários, vá em COMENTAR COMO.

3). Clique em SELECIONAR PERFIL

4). Se você tem um email do Gmail, clique em contas Google.

5). Escreva seu comentário

6).Clique em enviar

7).Quando você clicar em enviar, vai abrir para você a página do seu email.

8).Basta você colocar seu login e senha.

9).Pronto! Seu comentário foi enviado para o blog

PARA VOCÊ COMENTAR USANDO SEU NOME:

1).Clique em: NOME/URL

2). Vai abrir uma “janelinha” pra você colocar seu nome .E o URL, (endereço do seu blog), se você tiver um blog. Se você não tem, não precisa colocar nada

3).Coloque seu nome

4).Clique em continuar

5).Escreva seu comentário

6).Clique em comentar

7).Pronto. Você já comentou. Basta aguardar seu comentário ser lido, aprovado. Em seguida ele vai aparecer no post que você comentou.
Viram, como é simples?

Muito obrigada por nos ajudar e colaborar com o nosso blog