Pages

sábado, 30 de agosto de 2014

Programa de Marina tem pegadinha para acabar com regra de aumento do Salário Mínimo.


Programa de governo de Marina Silva, coordenado por banqueira, e ainda mais do banco Itaú, só podia dar nisso.

Lá na página 45 (figura abaixo), está escrito que para manter baixa a inflação, uma das coisa a fazer é "Reduzir o nível de indexação da economia".

Desde o governo Lula, em acordo com as centrais sindicais, foi construída uma política de recuperação do valor do Salário Mínimo, com a regra de reajustar com o crescimento do PIB de dois anos atras mais a taxa de inflação do ano anterior. Dilma manteve essa regra e vai continuar mantendo no segundo mandato.

Essa política é criticada pelos economistas demotucanos, tanto os que assessoram Marina como Aécio. Consideram uma indexação por estar atrelado a índices de inflação e de crescimento.

Ao propor essa desindexação, a regra de aumento real do salário mínimo entra na linha de tiro da equipe econômica de Marina.

Na página 53 há uma única e vaga menção a "valorizar o salário mínimo", sem dizer como, e sem mencionar nada sobre a regra atual, nem propor nenhuma outra regra diferente. Ou seja, não tem compromisso nenhum de manter a regra atual.

Programa de governo de Marina detona economia do Rio e Espírito Santo. Aliás detona todo o Brasil.


O programa de governo de Marina Silva (PSB), ao querer ligar a marcha-a-ré na exploração do petróleo do pré-sal, detona a economia dos estados do Rio de Janeiro, do Espírito Santo, fortemente impulsionadas por este setor econômico.

Afeta também São Paulo, que tem campos do pré-sal descobertos em sua costa. Aliás afeta o Brasil inteiro, com estados e municípios recebendo menos royalties, estaleiros com menos encomendas, etc.

Leia também:
- Marina já é manipulada pelo capital estrangeiro para entregar o pré-sal.

Itaú sobe no salto alto com Datafolha. Vamos reclamar ou reagir?


Não confio nem um pouco nas pesquisas do Datafolha e do Ibope. Só a pesquisa de boca de urna é que eu acredito que os números são mais exatos.

Mas mesmo assim não é bom brincar. O Datafolha divulgado na sexta-feira deu Marina Silva empatada com Dilma no primeiro turno com 34%, Aécio bem atrás com 15%. Na simulação de segundo turno, o Datafolha diz que Marina teria 50% e Dilma 40%.

Mesmo que os números da pesquisa estejam malhados, não há mais dúvida de que Marina tornou-se candidata forte com chances reais de vencer se ela correr solta, se deixar ela jogando sozinha (com o banco Itaú), gostando do jogo. Se deixar rolar, aí é perigoso dela acabar ganhando mesmo.

Dilma já começou a reagir, não atacando pessoalmente Marina porque isso o eleitor não gosta, mas criticando as propostas de Marina que são ruins e nocivas à nação, fazendo o bom debate.

Nós que somos ativistas e não queremos que o Brasil retroceda ao atraso também precisamos fazer o mesmo.

Não me importaria tanto se a alternativa fosse alguém que também governasse com real compromisso que Dilma tem de continuar erradicando a pobreza, transformando o Brasil em um país desenvolvido, todo de classe média para cima, e que tivesse visão altiva do Brasil no cenário mundial em vez de ser subalterno aos países ricos. Mas Marina não é mais nada disso, pelo contrário, seu governo seria a república do Itaú, e a gestão da economia seria com demissões, arrocho salarial, juros altos, e falta de verbas em programas sociais, na saúde e na educação para pagar juros e gerar superávits draconianos.

Então vamos arregaçar as mangas e travar o debate sobre as diferenças de Dilma/Lula com Marina/Itaú. Vamos falar com os amigos, familiares, colegas de trabalho, conhecidos, nos contatos pessoais e nas redes sociais, sobre o que está em jogo. Quem é Dilma e para quem ela governa com prioridade todo mundo sabe: é o povo, é o trabalhador, os mais pobres, e todo mundo se beneficia com o crescimento da renda das famílias injetando mais dinheiro na economia. Quem está por trás de Marina pouca gente sabe que é o banco Itaú.

Dilma já disse e nós precisamos repetir em nossas conversas e nas redes que a proposta de Marina Silva de jogar o pré-sal para segundo plano é simplesmente desastrosa, inclusive detonando verbas garantidas para a educação e saúde. É o salário do professor que não vai conseguir dobrar de valor, como planeja Dilma. É o estudante que sairá com uma educação pior e menos qualificado para o mercado de trabalho. É o futuro brilhante do Brasil que Lula e Dilma estão plantando que será podado.

Também é loucura, para não dizer indecência, transformar o Banco Central em filial do Banco Itaú, sob a desculpa de ser independente. Isso é colocar a raposa para tomar conta do galinheiro, e os banqueiros vão poder praticamente saquear o Brasil como bem entenderem, igual ou pior do que foi feito no governo FHC.

Se a gente, que somos ativistas, conscientes de que o Brasil tem muito a perder se mudar a política econômica de desenvolvimento com distribuição de renda e de reposicionamento do Brasil na política externa como potência que é; se ficarmos de braços cruzados, deixaremos jogar fora as conquistas dos últimos doze anos. O Brasil e o povo brasileiro não merece este castigo, iludido com uma falsa ideia de mudança para cair arapuca do banco Itaú.

Então gente, vamos à luta travar este debate com toda a nossa energia, debatendo com cada pessoa que conhecemos. Vamos fazer circular a informação. O povo quando está bem informado não vota contra si mesmo de jeito nenhum. Toda vez que se arrependeu do voto depois da eleição é porque votou mal informado.

Sobre a pesquisa:

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Marina já é manipulada pelo capital estrangeiro para entregar o pré-sal.

Dilma tem visão estratégica para enfrentar os interesses mundiais do mercado do petróleo, e garantir a riqueza finita para a educação e saúde. Marina já está sendo manipulada para entregar o pré-sal aos interesses do capital estrangeiro. O Brasil perderia o bonde do ciclo econômico do pré-sal, se Marina vencesse.

Agora vou falar mais como cidadão, porque agora Marina Silva (PSB) pisou no meu calo, aliás pisou no pescoço, cabeça de todo cidadão brasileiro, quando colocou em seu programa de governo que o pré-sal não é prioridade.

Agora virou questão de segurança nacional, de crime de lesa-pátria.

Já chega aquela proposta indecente de colocar o Banco Central para ser filial do Banco Itaú, sob disfarce de ser "independente".

O petróleo do pré-sal significa trilhões para educação nos próximos anos e décadas. Não é esperança, não é sonho, como a Marina Silva gosta de dizer. É garantia por lei, aprovada por Dilma, de que este dinheiro vai entrar no orçamento da educação (e ainda tem os 25% que vai para a saúde).

Quanto mais o pré-sal produzir, mais a educação e a saúde vão ter dinheiro, e teremos um outro país, transformado, desenvolvido, com o povo rico e altamente educado, sem pobreza.

Se o jovem brasileiro de 2014 já estudou bem mais do que o de 2002, com o monte de oportunidades e vagas que já foram abertas, imagine a criança de hoje que será jovem em 2020, 2025? Terá uma formação muito melhor, com uma escola melhor, com professores mais bem pagos, bem motivados, bem preparados. E isso é realidade, não é sonho, porque o pré-sal já produz 540 mil barris ao dia, e a produção não para de crescer. E não parará de crescer em ritmo acelerado até a próxima década, pelo menos se Dilma for reeleita.

E não é só o petróleo que tem valor. Ele impulsiona a indústria naval, de sondas, de máquinas, de instrumentos eletrônicos e mecânicos, de centenas de setores da economia, tudo isso na indústria nacional, gerando empregos aqui para engenheiros, técnicos, operários, prestados de serviços de todo tipo.

A engenharia brasileira é outra quando se faz tecnologia aqui. Em vez do engenheiro trabalhar em burocracia, vendas ou fora de sua área, com em bancos, ele mete a mão na massa na tecnologia. Aprende, desenvolve, pesquisa, descobre, tira patentes. Move a economia do conhecimento na alta tecnologia.

Toda essa tecnologia desenvolvida em mãos de brasileiros não serve apenas para a indústria petrolífera, porque o conhecimento acaba aplicado a outros setores. Pesquisas robóticas em águas profundas desenvolve conhecimento para tecnologia aeroespacial, por exemplo. Braços mecânicos no fundo do mar tem o mesmo princípio dos usados em estações espaciais, e são tecnologias usadas em linhas de montagem robotizadas de carros.

Mas os prejuízos que o Brasil terá se o pré-sal não for prioridade não pára por aí. O petróleo é cobiçado no mundo todo, mas as grandes petroleiras estrangeiras tem uma política própria delas de impor o ritmo de extração para ganhar mais dinheiro, mantendo o preço do barril caro. Para elas seria interessante atrasar a extração do pré-sal brasileiro, mantendo-o como reserva para elas explorarem mais à frente quando os países produtores de petróleo invadidos como Iraque, Líbia e outros já tiverem dado o que tinham que dar.

O melhor dos mundos para as petroleiras estrangeiras seria ficar sentada em cima do pré-sal brasileiro. Ter as reservas para elas, sem a Petrobras explorar fazendo concorrência.

Se a Petrobras também produz, outras petroleiras acabam contendo sua produção no Iraque, na Líbia, etc. para não abarrotar o mercado mundial e derrubar o preço do barril, fazendo diminuir seus lucros. A desastrosa proposta de governo de Marina Silva vai de encontro ao interesse destas petroleiras e contra os interesses do povo brasileiro.

Mas o amigo pode perguntar? E a emissão de poluentes do petróleo? Vale a pena ganhar dinheiro do pré-sal e detonar o planeta? A resposta é que nem de longe é isso que está em jogo, mas é com este discurso rastaquera que querem manipular Marina Silva para nos fazer de bobos.

Quem salva o planeta é a redução do consumo de petróleo, e a fatia do leão deste consumo está nos países ricos e na China. O Brasil está fazendo sua parte na redução de emissões de carbono. Tornou-se um dos países que mais tem reduzido, exemplo para o mundo.

As necessidades de consumo de petróleo mundial serão reduzidas ao longo das próximas décadas, mas terão que ser supridas de uma forma ou de outra, com pré-sal ou sem pré-sal, com a Petrobras ou sem ela. É um combustível ainda indispensável pelas próximas décadas.

Não faz o menor sentido a Petrobras ser a única a fechar as portas, enquanto outras empresas estrangeiras ocupariam o lugar dela e ficariam com o dinheiro que deixaria de entrar para o povo brasileiro.

Além disso, a Petrobras tem a curto prazo o pré-sal como prioridade. Mas a empresa já tem em seu plano de longo prazo não ser apenas uma petroleira. Com o tempo será uma empresa de energia em geral, cada vez produzindo mais energia limpa e de fontes diferentes. Para isso ela precisa investir muito em pesquisa científica e tecnológica. É o dinheiro do pré-sal no presente que garante as verbas para pesquisa e que garantirão o futuro.

Sindicato do Acre contesta afirmação de Marina de que Chico Mendes era da elite


Veio de Xapuri, cidade com cerca de 17 mil habitantes no Acre - estado onde nasceu Marina Silva -, a contestação da declaração dada pela candidata do PSB, no primeiro debate entre os presidenciáveis, de que o líder seringueiro Chico Mendes fazia parte da elite, ao lado do empresário Guilherme Leal, dono da empresa de cosméticos Natura, e Neca Setubal, herdeira do Banco Itaú e responsável pela coordenação do programa de governo da socialista. O Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Xapuri emitiu ontem uma nota oficial criticando Marina, que foi ministra do Meio Ambiente no período de 2003 a 2008, e rebatendo as declarações dela a respeito de Chico Mendes, assassinado em 1988 por fazendeiro contrário à sua luta em defesa dos trabalhadores extrativistas. Nascido em Xapuri, onde foi morto com um tiro de escopeta, Chico Mendes fundou, em 1977, o sindicato que, em nota oficial, se coloca como "legítimo representante do legado classista do companheiro".

 "O companheiro Chico foi um sindicalista e não ambientalista, isso o coloca num ponto específico da luta de classes que compreendia a união dos povos tradicionais (extrativistas, indígenas, ribeirinhos) contra a expansão pecuária e madeireira e a consequente devastação da Floresta. Essa visão distorcida do Chico Mendes ambientalista foi levada para o Brasil e a outros países como forma de desqualificar e descaracterizar a classe trabalhadora do campo e fortalecer a temática capitalista ambiental que surgia", diz a nota assinada pelo presidente do sindicato, José Alves, e seu assessor jurídico, Waldemir Soares. O texto diz ainda que os trabalhadores rurais de Xapuri não concordam com a atual política ambiental em curso no Brasil, idealizada, segundo a entidade, pela candidata Marina Silva quando era ministra do Meio Ambiente e classificada na nota como "refém de um modelo santuarista e de grandes Ong's internacionais".

TSE barra Arruda e Gilmar Mendes compara Corte a ‘tribunal nazista’



Em 2010, José Serra era candidato do PSDB à presidência, sua adversária, era Dilma Rousseff (PT), e  Gilmar Mendes, como hoje, ministro do STF. Na época, o Congresso Nacional havia aprovado uma minirreforma eleitoral e a legislação passou a exigir, além do título de eleitor, a apresentação de um documento de identificação com foto do eleitor na hora da votação. A obrigatoriedade da apresentação de dois documentos era vista por tucanos como um fator a favor de Serra e contra a presidenta Dilma, que tinha o dobro das intenções de votos de Serra

O PT resolveu entrar com a ação direta de inconstitucionalidade (ADI) por temer que a nova exigência provocasse aumento nas abstenções. O julgamento transcorria sem novidade. Sete dos dez ministros votaram pela inconstitucionalidade da lei. Eis que Gilmar Mendes recebeu um telefonema..... Quatro anos se passaram, a história se repete.Continue lendo aqui

Especialistas veem equívocos de Marina em deixar o Pré-sal de lado



A proposta do programa de governo da candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, de reduzir a prioridade que o pré-sal tem hoje nos planos de investimentos da Petrobras é vista como um equívoco pelos especialistas do setor. Seja porque a exploração dessas reservas é parte de um programa estratégico para o país se tornar um grande exportador de petróleo, ou pelo seu potencial de retorno financeiro para a estatal, eles dizem que desacelerar os aportes no pré-sal seria um retrocesso.

— Seria uma decisão estratégica que alteraria substancialmente a capacidade de investimentos do país em duas áreas fundamentais para o Brasil entrar numa rota de desenvolvimento social, a Educação e a Saúde — disse Nivaldi de Castro, coordenador do Grupo de Estudos do Setor Elétrico da UFRJ, referindo-se aos recursos da exploração do pré-sal que, por lei, irão para essas duas áreas.

Além disso, acrescenta, há o aspecto tecnológico. A Petrobras é a empresa com maior conhecimento na exploração de óleo em águas profundas.

— Diminuir os investimentos não seria uma boa estratégia, pois o país perderia essa liderança tecnológica.

Marina deixa pré-sal em segundo plano no programa de governo



Caso seja eleita, a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, planeja reduzir a importância da exploração do petróleo da camada do pré-sal na produção de combustíveis. Também pretende voltar a impulsionar o etanol no país e considera criar incentivos tributários para o setor. O programa de governo da candidata será apresentado em São Paulo nesta sexta-feira, às 14h.

Para a energia elétrica, Marina prevê um sistema chamado “multimodal”, com a adoção de diferentes maneiras de obtenção de energia. Hidrelétricas em construção na Bacia Amazônica serão terminadas, mas novas obras passarão por análise criteriosa antes de serem aprovadas.

O uso de termelétricas deverá ser reduzido gradativamente. Já as energias eólica e solar serão prioridade. E a importância dada ao Mercosul dará lugar ao esforço para a assinatura de acordos comerciais bilaterais.

Ibope: Audiência do Jornal Nacional despenca com Marina. Só ganhou do Pastor Everaldo



O Ibope, mediu o interesse dos  telespectadores em ouvir os candidatos que estão concorrendo a Presidência da República e concluiu que, a audiência do Jornal Nacional , da TV Globo, com a presença da candidata Marina Silva (PSB) ficou aquém da alcançada pelas edições do programa que receberam seus principais adversários, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).

O programa da quarta-feira (27) marcou 21 pontos de média, sem variação no trecho da entrevista. Cada ponto corresponde a 65 mil domicílios na Grande São Paulo.

No dia 18, uma segunda-feira, Dilma havia alcançado 27 pontos na entrevista. Sete dias antes, Aécio marcou 22 pontos.

A Marina  ganhou apenas de Pastor Everaldo (PSC), que teve média de 20 pontos. Em todo o Brasil, o número de telespectadores do Jornal Nacional é duas vezes maior que a soma dos quatro principais telejornais concorrentes. A pergunta que fica agora para os institutos de pesquisas é, de onde estão saindo os votos para Marina, se o público não está tão interessados no que ela tem a dizer?

Marina:"Há uma lenda de que sou contra transgênicos". É lenda mesmo?


Marina mente e até o Globo, desmente:
Na entrevista que concedeu ao Jornal Nacional na noite desta quarta-feira, 27 de agosto, a candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, afirmou que:

"Há uma lenda de que sou contra transgênicos"

Segundo notícia publicada pelo Ministério do Meio Ambiente em 26 de março de 2003, quando a candidata estava à frente da pasta, Marina "sempre foi contra a comercialização interna da soja transgênica". No mesmo texto, a então ministra defendia "precaução" em relação à produção de transgênicos: "Vou aceitar a liberação comercial de organismos geneticamente modificados no Brasil quando a sociedade estiver segura e informada sobre os efeitos dos transgênicos à saúde e ao meio ambiente".

Em entrevista ao jornal "Folha de S.Paulo" em 2003, Marina Silva também se posiciona de forma contrária à comercialização, no mercado interno, da soja transgênica cultivada no Brasil. Para ela, a solução seria exportar os transgênicos produzidos no país. "A legislação brasileira não permite a comercialização de soja transgênica no Brasil. Sou a favor do cumprimento da legislação".A nota foi  publicada na coluna  "Preto no Branco" do  Globo

Explicação de Marina sobre avião contradiz nota do PSB




A explicação da candidata Marina Silva (PSB) nesta quarta-feira no Jornal Nacional sobre o uso do avião na campanha de Eduardo Campos revelou uma contradição nas versões apresentadas até agora sobre o negócio. Enquanto a candidata diz que haveria um pagamento pelo uso da aeronave, o PSB informou, em nota divulgada na véspera, que os empresários autorizaram o uso do avião e que as horas de voo seriam contabilizadas ao fim da campanha, com a emissão de um recibo eleitoral. Esse tipo de recibo é utilizado apenas para registrar doações. O Globo questionou o PSB sobre a contradição, mas não obteve resposta até a publicação da matéria.

Em dois momentos, durante a entrevista ao JN, a candidata repetiu que haveria pagamento aos empresários apontados pelo PSB como donos do avião.

— Nós tínhamos uma informação de que era um empréstimo e que seria feito um ressarcimento no prazo legal, que pode ser feito, segundo a própria justiça eleitoral, até o encerramento da campanha e que esse ressarcimento seria feito pelo comitê financeiro do candidato — disse Marina. — O rigor é o de tomar as informações com aqueles que deveriam prestar as informações sobre a forma com que aquele avião estava prestando o serviço e a forma como estava sendo prestando o serviço era por um empréstimo que seria ressarcido pelo comitê financeiro — ressaltou, posteriormente.

O jato, de prefixo PR-AFA, caiu em Santos (SP) há duas semanas, matando o ex-governador Eduardo Campos e mais seis pessoas. Pelo posicionamento de Marina, o uso da aeronave seria lançado na prestação de contas como uma despesa. Com isso, o partido teria de repassar recursos obtidos de outros doadores aos empresários que cederam o jato para a campanha.

O PSB, porém, em nota assinada pelo presidente Roberto Amaral, afirmou na terça-feira que o uso foi “autorizado” pelos empresários e que, no final da campanha, seria feita a soma das horas de voo e a emissão do recibo eleitoral.

Escolas públicas do Brasil deram salto em qualidade de ensino


Um estudo inédito da Fundação Lemann mostra alguns possíveis caminhos para melhorar o aprendizado de português e matemática em colégios que atendem a alunos de baixa renda familiar. Baseada no cruzamento de dados da Prova Brasil, a pesquisa lista 215 escolas públicas que tiveram evolução no nível de proficiência das duas disciplinas entre 2007 e 2011.

Denominadas grupo tratamento, essas 215 unidades escolares tiveram seus resultados comparados aos do grupo controle de até outros 3 mil colégios com características similares (Ideb semelhante em 2007, mesmo nível socieconômico, localização e número de matriculados próximos), mas que não atingiram alto desempenho em 2011.

O estudo é complementar à pesquisa “Excelência com Equidade”, centrada em seis escolas em 2012, alvo de reportagens especiais do Globo no mesmo ano. Segundo a pesquisa, alguns fatores explicam a evolução no nível de proficiência, como ambiente e clima escolares favoráveis, condições de funcionamento de equipamentos e instalações, oportunidades de aprendizado, condições de trabalho dos professores e coesão intraescolar.

Ernesto Martins Faria, coordenador de projetos da Fundação Lemann, explica que nesse último tópico é avaliado se o ensino que a escola oferece aos alunos é muito influenciado pela troca de ideias entre os professores, se os docentes coordenam o conteúdo das disciplinas entre as diferentes séries e se o diretor e demais membros da equipe colaboram para fazer a escola funcionar bem.

— O estudo qualitativo já apontou a importância de um fluxo aberto e transparente de comunicação e de um bom ambiente escolar — explica Faria. — Como a educação é um processo contínuo, e as salas de aula são muito heterogêneas (os alunos aprendem de diferentes formas), a coordenação entre os educadores e a troca de experiências é fundamental.

COLÉGIOS DO RIO SÃO MUNICIPAIS

Das 215 escolas com excelência e equidade, 109 ficam em Minas, 31 no Paraná, 21 em São Paulo, 18 no Ceará e oito no Rio. O mapa completo com os detalhes de cada escola por estado pode ser acessado em www.qedu.org.br. Faria chama a atenção também para um efeito das redes de ensino estaduais e municipais em alguns locais, como em Minas, que concentra mais que o dobro das escolas da pesquisa:

— Há, de fato, um impacto da rede de ensino, pois vemos muitas escolas estaduais que passaram pelos critérios — pondera. — Mas várias são municipais de redes bem pequenas, então algumas que passaram pelos critérios conseguiram devido a ações que estão mais no controle da escola. Já o bom resultado do Ceará está ligado à boa articulação da rede estadual com as redes municipais do estado.

Todas as oito escolas do Rio são municipais e estão concentradas na capital. No Ciep Presidente Agostinho Neto, no Humaitá, é a diretora Marcia Nunes que recebe no portão os cerca de 500 alunos, da educação infantil ao 5º ano. Chegando pela manhã, eles vêm de comunidades carentes como Rocinha, Vidigal, Santa Marta, Tabajara e até da Baixada Fluminense. Entre 2007 e 2011, o nível de aprendizado considerado adequado no 5º ano pulou de 29% para 79% em português, e de 24% para 87% em matemática.

Logo na entrada, a diretora adverte dois meninos de que não quer mais nenhuma situação de briga entre eles, ao que respondem com um abraço. A ausência de violência é um dos fatores que influenciam o ambiente escolar.

O clima parece mesmo familiar. Às quintas-feiras, a biblioteca é aberta aos pais, que assistem à mesma aula que a professora Amália Araújo dá às crianças, seja com narração de histórias ou rodas de leitura. Lá, funciona também um cineclube e uma oficina de origami. Mãe de dois alunos da escola, Eline dos Santos compareceu à atividade na última quinta.

— Sempre que posso, participo, para saber o que eles estão aprendendo. Meus filhos adoram, e eu também — diz Eline.

Gurus de Marina e Aécio vão ter um troço. Dilma aumenta Salário Minimo de 2015 para R$ 788,00.


Os gurus econômicos que assessoram Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB) vão ter um troço: Dilma enviou proposta de Lei do Orçamento da União para 2015 com aumento real do salário mínimo para R$ 788,00. Isto dá um aumento de 8,8%, acima da inflação, como ocorreu durante todos os anos dos governos de Dilma e de Lula.

Os gurus de Marina e Aécio são contra essa política de aumento real do salário mínimo porque, segundo o fundamentalismo neoliberal deles, trabalhador ganhar melhor "atrapalha" a economia, e "atrapalha" a previdência.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Mesmo com jogo de compadres no JN, imagem de Marina pode ter sido abalada


Marina respondia olhando para a câmera com gestos calculados, sem reações naturais a perguntas incômodas. Bom treinamento de mídia melhora comunicação. Mas se perde autenticidade, corrói a imagem

A candidata à presidência Marina Silva (PSB) foi a entrevistada desta quarta-feira (27), na bancada do Jornal Nacional. Apesar das perguntas de William Bonner e Patrícia Poeta terem parecido incômodas à primeira vista, uma olhar atento ao programa permite notar algo próximo de um "jogo de compadres", como dois times que combinam previamente o resultado bom para ambos.O telejornal tinha de manter o estilo de interrogatório aplicado... Continue lendo aqui

Vídeo com artistas declarando apoio à Marina, também é manipulado: Essa é a nova política?



Depois de aparecer nas redes sociais  vídeo manipulado do ex-presidente Lula pedindo votos para a candidata Marina Silva (PSB), Marina  foi obrigada a confessar que não foi apenas esse vídeo do Lula que foi manipulado.

 Marina admitiu ao jornal O Estado de São Paulo, que um  outro vídeo, com a vinheta da campanha de 2014,  e com artistas declarando voto a  candidata Marina Silva, também foi   manipulado. Ou seja, é tudo mentira. Não existe artistas pedindo votos para a candidata dos banqueiros.Se não fosse descoberto a manipulação com o vídeo de Lula, Marina continuaria quieta,usufruindo da mentira?  Com medo de processos, depois do PT pedir a retirada do vídeo da internet e anunciar processo, a campanha de Marina diz que "As imagens foram usadas sem o consentimento dos artistas"

No vídeo de 1 minuto e 18 segundos, os cantores Arnaldo Antunes, Fagner, Maria Betânia, Lenine, e os atores Marcos Palmeira e Wagner Moura, entre outros, declaram sua preferência por Marina Silva. 

 A gravação divulgada na internet é uma montagem com base em um depoimento em que Lula pede votos para a deputada federal Marina Sant''Anna do PT.

 O presidente do PT, Rui Falcão, afirmou na tarde desta quinta-feira, 28, que vai recorrer a medidas judiciais e administrativas para retirar o vídeo do ar. "Temos uma candidata ao Senado, a deputada federal Marina Santanna, que recebeu, como é natural, uma gravação de apoio do presidente Lula", disse Falcão. "É uma montagem fraudada, que suprime o sobrenome (da candidata petista) e coloca apenas o presidente Lula apoiando Marina', como se fosse a candidata do PSB", concluiu. Ele não atribuiu a autoria do vídeo ao PSB ou a Marina Silva.

De acordo com ele, já foi enviado um pedido administrativo ao Google para retirar a peça do Youtube, que já retirou do ar a propaganda. Será encaminhada ainda à Justiça Eleitoral uma representação por propaganda eleitoral irregular que, de acordo com Falcão, "pode induzir o eleitor a erro". Também será pedido ao Ministério Público Eleitoral a instauração de um inquérito criminal para apurar as práticas de "falsidade ideológica de cunho eleitoral" e para identificar os responsáveis. O presidente do PT disse que, mais adiante, a coligação vai entrar com uma ação cível para retirar o vídeo do ar. "Ele viola o direito autoral e o direito de imagem (de Lula). Continuaremos na nossa linha de, nas nossas redes sociais, não nos valermos de fraudes e adulteração", declarou o petista. Já o PSB também classificou o vídeo como "fraude" e avisou que irá pedir um inquérito ao MP para apurar quem é o autor da farsa. 

Medidas adotadas

A coordenação da campanha de Dilma já solicitou ao YouTube a exclusão do vídeo. O Departamento Jurídico da campanha também entrará com representação na Justiça Eleitoral, por propaganda eleitoral irregular que induz o eleitor a erro; apresentará representação junto ao Ministério Público Eleitoral para que seja instaurado inquérito criminal pela prática de falsidade ideológica de cunho eleitoral; e caso o vídeo não seja retirado do ar, proporá Ação Civil por violação de direito autoral e direito de imagem.

Com a representação, o Tribunal Superior Eleitoral poderá determinar a retirada de circulação da propaganda fraudada e o responsável por ela. Segundo Flávio Caetano, coordenador Jurídico da campanha, “Não temos como apontar quem é o responsável. Isso depende de uma investigação”.