Pages

domingo, 24 de maio de 2015

Apesar da imprensa, PT tem aumento no número de filiados


PT continua sendo o partido  mais querido do País


O  PT registrou nos primeiros cinco meses deste ano um aumento considerável do número de filiados.Foram 16.640 filiações até sexta-feira passada. O número é 81% maior do que as 9.187 adesões contabilizadas no mesmo período do ano passado.

Para a direção do partido, o fenômeno pode ser visto como uma reação às investidas de grupos e movimentos "da direita" contra o partido nas ruas.

"Setores da base social do PT saíram em defesa do partido. Para eles, a forma de reagir é a filiação", afirma o deputado estadual José Américo Dias, secretário nacional do Comunicação do PT.

Só em abril, mês em que o ex-tesoureiro do partido João Vaccari Neto foi perseguido  o partido por meio de doações de campanha e que 97 mil trabalhadores perderam seus empregos no Brasil, o PT ganhou 10.882 filiados, número 2.734% maior do que as 384 filiações registradas em abril do ano passado.

Segundo José Américo, outro fator que pode ter provocado o "fenômeno da filiação" é uma maior organização do partido nas redes sociais.

Preferência
 O aumento do número de filiados registrado no período  continua sendo o mais querido do País e os números do PT continuam a impressionar. O partido conta, atualmente, com 1.740.110 filiados e está organizado em 84% dos municípios brasileiros, com 3.206 diretórios municipais e 1.494 comissões provisórias.

 No ano passado, a legenda estava presente em 56% das cidades do Brasil. O número de dirigentes municipais chegou a 51.549. Além disso, cerca de 149 mil novos filiados aguardam na fila para fazer os cursos de formação política obrigatórios para a formalização das adesões ao partido. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

sábado, 23 de maio de 2015

Médicos fantasmas indiciados por estelionato, prevaricação e abandono da função. Nenhum cubano


CGU e Polícia Federal na UFPR identificam “doutores” que abandonam função pública pela qual recebem, enquanto atendem em suas clínicas particulares. Os mesmos que fizeram passeata fora Dilma?
 A partir de auditoria da Controladoria Geral da União (CGU), a Polícia Federal deflagrou na quinta-feira (21) a Operação São Lucas, no Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba. Dez médicos serão indiciados pelos crimes de estelionato qualificado, falsidade ideológica, prevaricação e abandono da função pública. Os “doutores” ganham salários de até R$ 20 mil como funcionários públicos concursados, mas pouco apareciam no trabalho, ou apenas batiam o ponto e iam embora atender em consultórios ou clínicas privadas, deixando desfalcado o atendimento na rede pública. O esquema incluía fraude nos cartões ponto e outras pessoas podem estar envolvidas.... Continue lendo aqui

Auditores da receita acusados de corrupção doaram à campanha do tucano Beto Richa


Auditores fiscais sob investigação fizeram doação eleitoral a Richa
Campanhas do governador tucano do PR e de aliados receberam R$ 1 mi de servidores; todos negam ilegalidade

Na mira do Ministério Público após a descoberta de um esquema de corrupção e pagamento de propina na Receita estadual, auditores fiscais do Paraná doaram à campanha do governador Beto Richa (PSDB) e a outros 25 aliados quase R$ 1 milhão no ano passado, de acordo com levantamento da Folha.
 Contribuíram para o caixa eleitoral 291 dos 933 auditores do Estado, com doações individuais. Desses, 219 foram promovidos pouco antes da campanha, em maio. A maioria foi elevada ao teto da categoria, com salários de aproximadamente R$ 30 mil.

O decreto que estabeleceu a promoção também é investigado pela Promotoria. Uma denúncia anônima sustenta que a mulher de Richa, Fernanda, teria condicionado as promoções às doações.

A Promotoria, porém, coloca parte delas em xeque, pois vieram de auditores de Londrina investigados sob suspeita de cobrar propina para reduzir ou até mesmo anular dívidas tributárias. Quinze já foram denunciados –todos fizeram doações, que somam R$ 41 mil, às campanhas.

Um dos fiscais mencionou, em colaboração com a Justiça, que a campanha de Richa recebeu R$ 2 milhões de propina da Receita, em caixa dois, no ano passado.Há suspeitas de que o mesmo esquema se replique em outras cidades do Paraná, e que as doações oficiais sejam uma forma de distribuir a propina, tal como aconteceu em obras da Petrobras.

Em Curitiba, outra operação já foi deflagrada em maio para combater o mesmo esquema. Um auditor foi preso.As doações dos auditores estão espalhadas pelo Estado, segundo as delegacias regionais em que atuam. Richa e aliados receberam 95% das contribuições da categoria. Dos 36 políticos beneficiados, 26 são da base do tucano.

A campanha dele arrecadou R$ 290 mil. Seu ex-secretário da Fazenda e ex-chefe dos auditores Luiz Carlos Hauly (PSDB), –eleito deputado federal– recebeu R$ 80 mil de 39 servidores.

Entre os que mais receberam estão o ex-subchefe da Casa Civil (R$ 107 mil), o líder do governo na Assembleia (R$ 40 mil) e o presidente do PSDB do Paraná (R$ 44 mil).Do total de doações, pouco mais de um terço foi feita em dinheiro vivo –R$ 390 mil.

Chama a atenção a repetição dos valores doados: 70 auditores fizeram uma doação exata de R$ 3.600; a maioria para o ex-secretário Hauly, outros para o deputado Marcio Pauliki, do oposicionista PDT.

Outros 20 doaram exatos R$ 4.800, nesse caso para políticos mais próximos de Richa –Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), atual líder do governo, e Valdir Rossoni (PSDB), deputado federal e presidente do partido.

Em Londrina, epicentro das investigações, o volume arrecadado para os políticos locais chega a R$ 170 mil (incluindo o ex-secretário Hauly, que também é da cidade).

Na região oeste, a candidata preferida dos auditores foi a mulher do prefeito de Foz do Iguaçu, Claudia Pereira (PSB), eleita deputada estadual. Ela arrecadou R$ 76 mil.

Aos adversários de Richa, foram destinados R$ 78 mil. Só um auditor doou (R$ 5.750) a Roberto Requião (PMDB), que disputou o governo. As informações são da Folha de São Paulo

Grupo de juristas e professores universitários do Paraná pede impeachment de Beto Richa


Um grupo formado por juristas e professores universitários pretende entregar, na segunda-feira, um pedido de impeachment do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), à Assembleia Legislativa do estado. O grupo já havia feito um julgamento simbólico na Universidade Federal do Paraná (UFPR), em que considerou Richa responsável pela ação da PM contra professores em greve que terminou com mais de 200 pessoas feridas no dia 29 de abril em Curitiba.

Até as 16h desta sexta-feira, a petição online com o pedido de impeachment de Richa tinha 2.300 assinaturas. A iniciativa partiu do professor de Direito Tarso Cabral Violin, que foi atingido por policiais no dia da ação contra a greve, e já tem o apoio de outros professores, alunos, ativistas e de organizações da sociedade civil.

Os professores estão em greve há cerca de um mês. Uma reunião entre o sindicato e o governo do estado terminou sem acordo na terça-feira. A categoria pede um reajuste de 8,17%, enquanto a gestão de Richa oferece 5%. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Educação Pública do Paraná, a ação da PM no dia 29 de abril deixou 392 feridos.



País acumulou na quinta-feira R$ 200 bilhões em impostos sonegados


Em um ano em que cada centavo conta para alcançar o ajuste fiscal, o Brasil já acumula quase R$ 200 bilhões em impostos sonegados, que deixam de engordar os cofres públicos. A marca será alcançada nesta quinta-feira, segundo o Sonegômetro, cálculo feito pelo Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz). Com o dinheiro, seria possível distribuir quase 600 milhões de cestas básicas ou construir mais de 14 milhões de salas de aula, de acordo com a entidade.
 O sindicato calcula o número baseado em estimativas de sonegação de vários tributos, como Imposto de Renda e ICMS. Segundo o Sinprofaz, as secretarias de Fazenda de cada estado e a Receita Federal têm estimativas de quanto deveriam receber em impostos. A discrepância entre essa expectativa e o que é de fato recebido é um dos indicadores para compor o Sonegômetro. Com base nesses dados, os estudos chegaram a uma taxa de sonegação de 27,6% da arrecadação, a mesma usada em outros países da América Latina. O cálculo é conservador — afirma Heráclio Camargo, presidente do Sinprofaz.
 Para chamar atenção para o problema, o Sinprofaz instalou um painel com a contagem dos impostos devidos no Largo da Carioca, no Centro do Rio, na manhã desta quinta. A exposição circula por várias cidades desde 2013 — recentemente, esteve em Brasília — e foi montada na capital fluminense pela primeira vez. A ação terminou nessa sexta-feira, às 18h.

O placar mais próximo de R$ 200 bilhões, no entanto, só pôde ser visto pela internet. Por causa de um problema técnico, o painel eletrônico estava atrasado e exibia na manhã a marca de “apenas” R$ 190 bilhões, por volta das 10h.

O valor já foi suficiente para assustar quem passava pelo Largo da Carioca e se deparava com a instalação, composta ainda por uma máquina de lavar gigante e um varal com notas de dinheiro para simbolizar a lavagem de dinheiro. A estratégia de limpar dinheiro sujo com negócios limpos, diz o Sinprofaz, é usada em 80% dos casos de sonegação fiscal.

 Roubaram, e a gente que vai pagar — resumiu o auxiliar de escritório Eliomar Rodrigues, que passava pelo local.Para César Santos, que trabalha em uma lavanderia, se surpreendeu com a instalação chamativa. Em seu dia a dia, lavar dinheiro só do trocado esquecido no bolso da calça. O crime, destacou, precisa ser combatido.

 Quando olhei a máquina, pensei que estavam instalando uma nova lavanderia, uma concorrente — brincou, emendando sua opinião sobre a campanha: — Como cidadãos, temos que seguir as leis. Se houver sonegação, como o governo vai pagar as contas? Agora, também tem que haver o bom senso dos governantes, para cumprir com os deveres deles.

Em 2014, o painel registrou R$ 500 bilhões em impostos sonegados, dinheiro que cobriria com folga o rombo nas contas públicas daquele ano. O Globo



sexta-feira, 22 de maio de 2015

Aécio é repudiado por 510 mil contabilistas por ofender a classe.

http://portalcfc.org.br/noticia.php?new=21235
O Conselho Federal de Contabilidade, representando 510 mil profissionais e 27 Conselhos Regionais, publicou uma nota de repúdio ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) em resposta a ofensa que o tucano fez contra toda a classe profissional.

O senador tratou a profissão de contabilista de forma pejorativa, depreciando os profissionais, ao fazer críticas desastradas ao ministro da Fazenda Joaquim Levy.

Eis a íntegra:

Nota de Repúdio do CFC ao pronunciamento do senador Aécio Neves

O Conselho Federal de Contabilidade, nesta Nota de Repúdio, representando os 27 Conselhos Regionais de Contabilidade e os 510 mil Profissionais da Contabilidade do Brasil, vem a público discordar das referências aos “contabilistas” feitas pelo senador Aécio Neves, em pronunciamento, no dia 20 de maio, em que criticou o Ajuste Fiscal proposto pelo ministro Joaquim Levy, conforme matéria publicada no Jornal O Globo (http://oglobo.globo.com/brasil/aecio-chama-ajuste-fiscal-de-joaquim-levy-de-contabilista-16217897).

PF desarticula esquema de fraude contra Receita que pode chegar a R$ 900 milhões


Golpe de grupo empresarial no DF

A Polícia Federal (PF) e a Procuradoria da Fazenda Nacional (PFN) desarticularam nesta sexta-feira (22), no Distrito Federal, esquema de fraudes envolvendo a cobrança judicial de créditos públicos inscritos em dívida ativa. As pessoas envolvidas estão sendo acusadas de lavagem de capitais, formação de quadrilha e falsidade ideológica. O golpe era comandado por gestores de um grupo empresarial que atua no ramo de transportes e turismo.

De acordo com PF, por meio de empresas de fachada, os gestores do grupo empresarial movimentaram cerca de R$ 900 milhões que deveriam ter sido usados para quitar débitos fiscais e tributários. Segundo o chefe da Delegacia de Combate a Crimes Financeiros da Polícia Federal, João Thiago Oliveira Pinho, o grupo é bastante conhecido na capital federal e algumas das empresas já tiveram falência decretada. Os empresários são suspeitos ainda de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e falsidade ideológica.
A Procuradoria da Fazenda Nacional afastou da gestão do grupo empresarial os suspeitos de comandar o esquema. Para ocupar o lugar dos gestores foi nomeado, pela PFN, um auditor fiscal. A operação, denominada Patriota, envolve o cumprimento de 29 mandados judiciais, sendo 18 de busca e apreensão e 11 de condução coercitiva.

O filho do empresário, Wagner Canhedo Filho, estava até as 12h10 na PF, em uma sala onde agentes tomam depoimentos. Ele saiu da Superintendência da PF por volta das 13h e não falou com a imprensa.
Canhedo Filho foi preso em flagrante por posse ilegal de arma. Na casa dele foram encontradas duas armas com registro vencido, uma sem registro e o documento de uma arma que estava no escritório dele. O empresário pagou R$ 38 mil de fiança.

De acordo com PF, o nome da operação é uma referência a um hotel, de mesmo nome, que pertence ao grupo empresarial investigado. Informações da Agência Brasil

Todos os governadores do PSDB estão envolvidos em algum tipo de escândalo


Você conhece a razão pela qual nenhum governador tucano apareceu no programa eleitoral do PSDB na TV? Não?. Leia a matéria e descubra quais
 FHC  praticamente lançou a candidatura do ex-presidente Lula à presidência em 2018, ao se escalar para falar mal dele. O problema é que FHC vestiu um figurino que não lhe cai bem, de “indignado” com a corrupção, pois atitudes e condutas de seu governo favoreceram a impunidade de políticos corruptos que sobrevivem até hoje. Não convenceu.FHC precisaria de uma verdadeira comissão da verdade sobre corrupção em seu governo para esclarecer as centenas de escândalos de corrupção que marcaram seus mandatos.... Continue lendo aqui

Por que a Total Petróleo anuncia na TV Globo?



No período eleitoral de 2014 vi uma propaganda na TV muito bem feita que pensei ser da Petrobras. Mas era da Total, empresa de petróleo multinacional cuja sede é na França.

Achei muito estranho. A Total não atua no varejo no Brasil, não tem rede de postos, para anunciar em meios de comunicação de massa. Então o retorno em vendas, uma das razões de ser da qualquer propaganda, seria zero.

Outro motivo mais justificável seria uma propaganda institucional. É comum quando a imagem da empresa sofre algum desgaste, por exemplo quando há acidente com danos ambientais, ou que vitima trabalhadores, ou quando a empresa se vê envolvida em algum escândalo. Também não é o caso da Total no Brasil. O retorno, neste caso, também seria zero.

Em países onde empresas estrangeiras são consideradas imperialistas por ficarem com a maior parte do lucro do petróleo, deixando muito pouco da riqueza para o povo, também é comum este tipo de propaganda institucional para melhorar a imagem e fazer um contraponto neoliberal aos nacionalistas que pregam mudanças nos contratos. Mas no Brasil, a Total não tem nenhum problema de má imagem deste tipo.

A petroleira francesa até aceitou participar da extração de petróleo no campo de Libra no pré-sal com participação minoritária, ao lado da majoritária Petrobras. Aceitou as regras de partilha, onde a fatia do leão da riqueza fica com o povo brasileiro. Portanto também não tem este tipo de problema, e o retorno da propaganda também seria zero.

Aliás, se a Total tivesse que fazer propaganda institucional seria em 2013, após participar do consórcio de Libra com a Petrobras. Ali seria hora de fazer uma propaganda comemorativa para marcar a presença institucional de investir no Brasil e esse blá-blá-blá corporativo que grandes empresas costumam fazer quando anunciam grandes investimentos, mesmo que não atuem no varejo.

Mais surpreendente é que a propaganda é internacional, não foi feita no Brasil, nem concebida para o Brasil. É visível cenas gravadas em países africanos, inclusive com placas em outros idiomas. No Youtube, quando pesquisamos, vemos que o anúncio existe dublado em diversas línguas.

Agora a propaganda está de volta na tela da TV Globo (não sei se é veiculada em outros canais também). Ao que tudo indica o retorno em vendas e para as operações no Brasil em termos de negócios com as regras atuais continua sendo zero.

Assim a propaganda seria dinheiro jogado fora. Mas departamentos de marketing altamente profissionais de multinacionais não rasgam dinheiro.

Por que então anunciar na TV Globo?

Não podemos afirmar ao certo, mas que dá para desconfiar, isso dá. O único motivo que consigo vislumbrar, que não seja rasgar dinheiro, é os anúncios serem uma forma de patrocínio à linha editorial das Organizações Globo para defender mudanças no modelo de partilha e enfraquecimento da Petrobras, de forma que as petroleiras privadas estrangeiras fiquem com uma fatia maior da riqueza do pré-sal.

Só consigo ver retorno financeiro para a Total neste tipo de propaganda se a pregação da Globo desse certo contra a Petrobras e contra o modelo de partilha no pré-sal, onde cerca de 80% da riqueza ficam para o povo brasileiro.

O presidente da Total do Brasil, em entrevistas, já defendeu o fim da exclusividade da Petrobras no pré-sal. Os jornais e telejornais da Globo também defendem a mesma coisa. Junta a fome de um com a vontade de comer do outro.

Não é proibido nem ilegal anunciar com objetivo de patrocinar linhas editoriais que atendam ao lobismo corporativo. Mas o povo brasileiro tem o direito de saber qual é o jogo político pesado em torno da riqueza do pré-sal que está sendo jogado na telinha da TV Globo.

Banqueiros batem panelas: Dilma marca golaço e sobe imposto dos bancos.


Na sede do Banco Itaú, as panelas devem ter ficado destruídas de tanto que devem ter sido batidas ao ler o Diário Oficial da União de hoje.

Está publicada a Medida Provisória (MP) 675, que coloca as instituições financeiras para também pagar a conta do ajuste fiscal.

A Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) incidente sobre as instituições financeiras terá a alíquota aumentada de 15% para 20%.

Nada mais justo, pois os bancos continuam batendo recordes de lucros, mesmo quando o PIB passa por dificuldades de crescimento. Então é um setor que tem maior capacidade contributiva do que os outros.

Agora o ajuste fiscal começou a entrar nos trilhos e colocou os bancos para pagar a conta também.

Outro setor que pode voltar a pagar impostos é o papel jornal. Não há porque ter o privilégio da isenção em nome da liberdade de imprensa, se o meio internet que também veicula notícias (e de forma muito mais livre) é tributado.

Os canais de televisão lucrativos também precisam voltar a pagar ICMS, como tinham que pagar antes.

Justiça manda deputado do PSDB-MA devolver R$ 115 milhões



O deputado federal João Castelo (PSDB-MA) foi condenado pela Justiça do Maranhão a devolver R$ 115,1 milhões --em valores atualizados-- aos cofres públicos e pagar multa de R$ 38,3 milhões por improbidade administrativa. Ele ainda teve a função pública cassada e deverá perder o mandato parlamentar.

A decisão foi tomada nessa terça-feira (19) pela juíza da 1ª Vara da Fazenda Pública de São Luís, Luzia Madeiro Neponucena, que ainda a condenou Castelo a perda dos bens adquiridos ilicitamente ao patrimônio e a proibição de contratar com o poder público e direitos políticos suspensos por oito anos.

O deputado federal disse que vai recorrer da decisão --que ainda não foi publicada oficialmente.

O valor a ser devolvido é referente a ato de improbidade administrativa que ele teria cometido em 2009 e 2010, quando era prefeito de São Luís e autorizou obras de asfaltamento de ruas.

Segundo as investigações do MP (Ministério Público) do Maranhão, Castelo teria feito contratos de recuperação, reconstrução e revitalização de pavimentação de ruas e avenidas da capital maranhense sem licitação.

Além disso, ele também foi condenado por fraude no procedimento licitatório e de lesar ao patrimônio público.

Outras três pessoas --sendo um ex-secretário municipal de Obras e Serviços Públicos e dois empresários-- também foram condenados com as mesmas penas, exceto a perda de função pública, pois não exercem cargos públicos.

Fraudes
Segundo o MP, após chuvas na capital, Castelo expediu decreto emergencial em julho de 2009 para dispensa de licitação para a realização de obras de pavimentação asfáltica. O contrato foi fechado no valor de R$ 29,9 milhões.

Para os promotores, teria existido "ocorrência de favorecimento indevido e malversação de recursos públicos".

Conforme o MP, o município não teria demonstrado a necessidade do decreto de emergência em ruas e avenidas. Além disso, diz também que os serviços deveriam ser fiscalizados com medições, para fins de pagamento.

Um ano depois, um novo contrato com a mesma empresa foi assinado no valor de R$ 85,1 milhões para novas obras de pavimentação asfáltica.

Para poder realizar as obras, empresa que foi contratada alterou o capital social para se adequar ao edital de licitação, na modalidade concorrência pública. O certame exigia que a empresa tivesse capital mínimo de 10% do valor total da obra.

Segundo apurou o MP, a alteração foi feita pouco mais de dois meses antes da abertura do processo licitatório.

Para o MP, tudo isso foi feito com intuito de fraudar a concorrência na licitação no segundo contrato com a empresa. Assim como no primeiro contrato, as medições e a localização das obras não foram apresentadas.

A imprensa esconde, nós mostramos


Dando continuidade a serie de notícias, “Estamos em crise, o Brasil está em recessão” , como alega a nossa 'querida' imprensa e  a opisição liderada por Aécio Neves, que, torcem para o quanto pior melhor para se eleger...Mostraremos mais notícias que não são manchetes na imprensa

Azul comprando aviões? Mas, se estamos em crise, quem esta viajando?

A companhia aérea Azul e a Embraer assinaram um acordo final para a encomenda firme de 30 jatos do modelo E195-E2, confirmando carta de intenções anunciada em julho do ano passado, disseram em comunicados nesta quinta-feira (21).
O acordo envolve ainda direitos de compra para 20 jatos adicionais do mesmo modelo. Caso os direitos sejam exercidos, o contrato pode chegar ao valor estimado de US$ 3,2 bilhões, pelo preço de lista.(Reuters)

 Fila de espera para comprar carro zero?

A Honda opera diariamente sua fábrica em Sumaré, no interior de São Paulo, com horas extras para dar conta da demanda. Seu recente lançamento, o utilitário-esportivo HR-V, tem fila de espera de 100 dias e as vendas da marca aumentaram 15% no primeiro quadrimestre, num mercado que caiu 18,4%.

 A segunda fábrica do grupo no País, antes prevista para ser inaugurada no fim do ano, só deve entrar em operação em Itirapina (SP) em 2016, ainda sem data definida.

A nova fábrica vai dobrar a capacidade produtiva da Honda, atualmente de 120 mil veículos por ano e ajudará a desafogar a unidade de Sumaré, que opera no limite. Os operários fazem 1h40 de trabalho extra diariamente em cada um dos dois turnos. "É caro e exige muito dos trabalhadores", afirma Eigi.

O plano da Honda é inicialmente concentrar na nova fábrica a produção do Fit, abrindo assim espaço para os modelos City, Civic e HR-V. Lançado em março, o utilitário-esportivo (SUV) compacto representa 40% da produção diária.

Segundo Eigi, há fila de espera de 100 dias para o modelo top de linha (que custa R$ 88,7 mil) e de um mês para o mais barato (R$ 70 mil). Introduzir um terceiro turno em Sumaré não é viável porque não há disponibilidade de componentes importados para o SUV, informa o executivo.

A fábrica de Sumaré emprega atualmente 3,2 mil pessoas - 100 delas contratadas para a unidade de Itirapina e, até o fim do ano, terá mais 300 pessoas. Já a filial terá 2,2 mil funcionários em dois turnos.

Expansão

Só com horas extras, a Honda consegue ampliar a produção de 540 para 657 carros por dia. A empresa investiu R$ 250 milhões nos últimos meses para a produção do HR-V e em novos equipamentos, como robôs para a linha de pintura de peças plásticas, para reforçar a produção de componentes que serão enviados para Itirapina, cujo projeto exigiu investimentos de R$ 1 bilhão. As duas fábricas farão as mesmas linhas de produtos.

Eigi espera um crescimento de 15% na produção neste ano, ante as 127 mil unidades de 2014. As vendas devem crescer na mesma proporção. Nos primeiros quatro meses do ano essa meta foi atingida, com a comercialização de 46,5 mil veículos. Em todo o ano passado a marca vendeu 130,9 mil unidades, incluindo importados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

MP denuncia prefeito do PPS e procurador por nepotismo


O Ministério Público do Maranhão ajuizou, no último dia 14, Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa contra o prefeito de Itapecuru Mirim, Magno Rogério Siqueira Amorim (PPS), e o procurador-geral do município, Euclides Figueiredo Cabral. Ambos são acusados da prática de nepotismo, haja vista que o prefeito é casado com uma irmã do procurador-geral.

Em caráter liminar, foi requerida a suspensão imediata da remuneração do procurador-geral com o consequente afastamento do cargo até o julgamento final da ação, bem como a indisponibilidade dos seus bens e do prefeito.

O promotor de Justiça Benedito Coroba, autor da ação e que está respondendo pela 1ª Promotoria de Itapecuru Mirim, enfatiza que a irregularidade, no caso a nomeação para cargo público de parente por afinidade, viola a Constituição Federal e a Súmula Vinculante n°13 do Supremo Tribunal Federal.

A norma resguarda da proibição ao nepotismo as nomeações de parentes para cargos políticos - como os de ministros de Estado, secretário estadual ou municipal. De acordo com o membro do Ministério Público, uma decisão do STF (Reclamação 12742), "rechaçou a hipótese do cargo de procurador-geral do município ser considerado cargo político".

Caso seja recebida a ação pela Justiça, o Ministério Público pede que seja declarada a nulidade do ato de nomeação de Euclides Figueredo Cabral, para o cargo de procurador-geral do Município de Itapecuru Mirim; a perda dos valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio; o ressarcimento integral dos valores percebidos, como procurador-geral do Município, nos exercícios financeiros de 2013, 2014 e 2015, além de outras penalidades previstas na Lei de Improbidade Administrativa.

Solicita também que o prefeito Magno Amorim seja condenado com a perda do cargo, a suspensão dos direitos políticos por oito anos; a proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos, mais o pagamento de multa civil no valor de 100 vezes o valor da remuneração percebida pelo réu em abril 2015 no cargo de prefeito de Itapecuru Mirim. (Ascom MPMA)

CPI do caso Swissleaks vai à França ouvir denunciante


Membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara dos Deputados que investiga a abertura de contas secretas pelo banco HSBC em paraísos fiscais - o caso Swissleaks - vão viajar a Paris para ouvir o testemunho do denunciante do escândalo, o perito em informática franco-italiano Hervé Falciani.

A informação foi revelada ao jornal O Estado de S. Paulo pela presidência da comissão e considera o fato de o especialista pode vir a ser procurado pela Interpol a pedido da polícia da Suíça. Falciani é perseguido pela Justiça suíça por ter violado as normas do segredo bancário do país, o que na prática fez com que o governo solicitasse à polícia internacional sua prisão. A Interpol, por sua vez, poderia distribuir uma Red Notice - um alerta de Difusão Vermelha - solicitando sua prisão.

Mas, em países como a França, que o protege, o perito não só não é considerado criminoso, como também é testemunha que colabora com Ministério Público e com juiz de instrução do caso Swissleaks.

Hervé Falciani revelou no final de abril sua intenção de colaborar com as autoridades brasileiras na investigação sobre possíveis crimes de evasão fiscal, lavagem de dinheiro e corrupção atreladas às contas secretas abertas pelo banco HSBC Private Bank, descobertas em 2008. Desde fevereiro, o jornal Le Monde e o Consórcio Internacional de Jornalismo Investigativo (CICJ) vêm revelando os detalhes do esquema que envolve 106 mil clientes do banco em 203 países. Entre 2006 e 2007, depósitos da ordem de US$ 100 bilhões transitaram pela filial de Genebra da instituição em direção a paraísos fiscais. De acordo com o portal UOL, 8,6 mil clientes brasileiros teriam um total de US$ 7 bilhões em 6,6 mil contas bancárias da agência suíça.

Até aqui a CPI pretendia levar Falciani ao Brasil, com apoio do Ministério da Justiça, da Procuradora-Geral da República e da Polícia Federal. A solução encontrada, porém, foi a inversa. A delegação brasileira, liderada pelo presidente da CPI, Paulo Rocha (PT-PA), pelo vice-presidente, Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), e pelo relator, Ricardo Ferraço (PMDB-ES), irá dentro de duas semanas à França.

"Falciani ainda não está, mas pode entrar na Red Notice da Interpol. Basta que a Suíça entre com um pedido internacional de prisão contra ele, a partir de sua viagem de Paris a Brasília", argumentou Randolfe. "Neste caso, diante da situação de insegurança jurídica que ameaçaria a liberdade de Falciani, a CPI achou mais prudente viajar até ele para ouvi-lo em Paris."

quinta-feira, 21 de maio de 2015

PSDB escondeu Richa na TV e maquiou Aécio e FHC como "mortos-vivos"



Sem projeto para o Brasil nem vitrines nos estados em que é governo, aos tucanos restou em seu programa na TV maquiar Aécio e FHC como 'mortos-vivos' para encarnar o antipetismo 
 O programa só exibiu duas “lideranças”: o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso – que já pendurou as chuteiras em disputas eleitorais – e Aécio, que luta para manter um protagonismo político raivoso, destilando ódio. Talvez o partido tenha ficado com vergonha de mostrar os seus cinco governadores. Nenhum deles foi sequer mencionado.Que vitrine o governador Beto Richa tem para mostrar no Paraná? Propinas, corrupção, quebradeira...Outra vitrine difícil de mostrar é a do governador tucano de São Paulo.O governador de Goiás, Marconi Perillo continua associada ao escândalo do bicheiro Carlinhos Cachoeira.Reinaldo Azambuja, do Mato Grosso do Sul, foi acusado pelo senador paraguaio Arnoldo Wiens de ter vínculos com o empresário Vilmar Acosta, suspeito de ter mandado assassinar o jornalista paraguaio Pablo Medina... Continue lendo aqui