Pages

terça-feira, 29 de julho de 2014

Baton na cueca não tem explicação!



A coligação Muda Brasil, ficou na muda! 
O aeroporto de Cláudio foi feito na gestão do candidato Aécio Neves (PSDB), quando foi governador de Minas, projeto  também é de Aécio, com dinheiro público, porém, restrito, propriedade particular, só para a família...Virou samba!

E, até a Folha, zoa Aécio

Meta de programa mineiro não justificava aeroporto perto da fazenda de Aécio

Pouso forçado

 As metas do programa ProAero não justificavam o uso de verba pública para construir um aeroporto em Cláudio (MG), próximo à fazenda da família do tucano Aécio Neves. O plano do governo de Minas Gerais anunciava como objetivo reduzir a no máximo 80 quilômetros a distância de cada cidade do Estado para uma pista de pouso. Antes da obra, os municípios da região já eram atendidos por outros aeroportos em Divinópolis (MG) e Oliveira (MG), também contemplados no plano.

 Provocação de um aliado de Eduardo Campos (PSB) sobre o aeroporto: “O que chama a atenção não é a construção na terra do tio-avô, é a displicência de ter deixado a chave na mão do parente…”

Programático

 Emidio de Souza, o presidente do PT paulista, brincou ontem com aliados em um evento dos metalúrgicos do ABC: “Descobrimos um trecho do programa de governo de Aécio para aviação: construir o terminal 3 no aeroporto de Cláudio”.

Picaretagem? Empiricus dizia que ações da OGX ia dobrar, mas despencou. Agora diz que será o "fim do Brasil".

http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/ogx-pode-dobrar-valor-bolsa-diz-empiricus-522601/
Uma tal de Empiricus espalhou um "relatório" imbecil e catastrofista sobre a economia brasileira chamado "Fim do Brasil". Retrata a eleição de Dilma como se fosse o "fim do mundo".

É da mesma linhagem dos que diziam no ano passado que hoje estaríamos em uma "tempestade perfeita" na economia, coisa que, nem de longe, aconteceu. É também da mesma linha dos que diziam em 2008 que o Brasil iria quebrar com a crise internacional igual nos tempos de FHC, e os que criaram o "lulômetro" nas eleições 2002, dizendo que quando Lula subia nas pesquisas, o dólar também subia.

Vamos desenhar: até as agências internacionais bem mais sérias que essa tal de Empiricus, mantiveram a economia do Brasil na categoria sólida de "grau de investimento", coisa que os tucanos sempre almejaram, mas só o governo Lula conseguiu e o governo Dilma mantém, inclusive elevando as reservas. Então esse alarmismo desta tal Empiricus tem cheiro, cor e forma de picaretagem.

Para entender um pouco o que está em jogo, vai uma dica: quem é profissional na área de ganhar dinheiro ensina para todo mundo o pulo do gato?

Quem é dono de uma loja de sucesso, ensina à concorrência as dicas de seu negócio, para todo mundo copiar e sua própria loja perder dinheiro e clientela para os concorrentes?

No mercado de derivativos nas bolsas de valores é muito pior. Não existe possibilidade de ganha-ganha como existe no mercado à vista de ações. Quando um vende para o outro ações ou títulos nos mercados futuros e de opções, um ganha muito e outro perde muito. Quem tem informação valiosa e rara que ajude a prever o rumo do mercado, não conta para ninguém. Usa para ganhar dinheiro para si.

Pois o negócio da Empiricus, acredite se quiser, é vender "cartilhas" que supostamente ensinariam o pulo do gato para todo mundo que segue seus "conselhos" a ganhar dinheiro! Tem assinaturas desde R$ 19,90 por mês até R$ 164,90 por mês. Só falta lançar uma edição de R$ 1,99 chamada de "Elixir milagroso para ficar milionário sem trabalhar".

Como são bonzinhos e abnegados! Em vez de ganharem dinheiro, ensinam os outros a ganharem! (estou ironizando, é claro).

Só que muita gente que seguiu os conselhos da Empiricus em 2009 perdeu muito dinheiro. Há quem tenha perdido praticamente todo o dinheiro que aplicou, seguindo os "conselhos" dos gurus da empresa.

No auge de Eike Batista, em fins de 2009, a Bovespa já tinha subido 80%. As ações da OGX, petroleira de Eike Batista estava cotada em torno de R$ 16,00. A Empiricus espalhou por aí que a OGX tinha potencial para subir mais de 100%.

Com esse tipo de notícia se espalhando, muita gente incauta achando que a Empiricus e assemelhados ensinava a ganhar dinheiro, compraram ações da OGX.

Com muita gente comprando, as ações subiram um pouco num primeiro momento, pela própria procura (mas longe de dobrar de preço com dizia a Empiricus), para em seguida começar a cair. Nunca mais voltou ao que era e despencou. Em vez dos R$ 32,00 previstos pela Empiricus, hoje as ações da OGX valem R$ 0,18.

Um autor de relatórios da Empiricus, Marcos Elias, teve seu registro de analista suspenso pela própria classe por 12 meses devido a alguns relatórios sensacionalistas e, com a suspensão, deixou a empresa. Outros dois analistas da Empiricus que ainda continuam na empresa já foram multados pela falta de seriedade na linguagem sensacionalista.

Existem outras empresas e analistas de mercado sérios, que fazem e vendem análise de balanços, estudos de gráficos de tendência. Existem até softwares que fazem automaticamente estas coisas. Mas quem é sério se limita a estudos numéricos de indicadores objetivos, sem sensacionalismo. E estes estudos é apenas parte do conjunto de informações que operadores do mercado usam para tomar suas decisões de compra ou venda. O pulo do gato para ganhar dinheiro de fato, sabendo a hora de comprar ou vender determinado papel, ninguém ensina por motivos óbvios.

Vender relatórios sobre mercados em linguagem sensacionalista e ainda fazer propaganda paga no Google, de forma também sensacionalista e usando candidaturas para vender assinaturas e, talvez, provocar movimentos especulativos nas bolsas com o sensacionalismo, entra no terreno pantanoso da exploração da boa fé alheia, da propaganda enganosa.

Por isso, exige investigação se está havendo crimes de manipulação do mercado, contra a economia popular e contra a legislação eleitoral, já que as eleições também podem estar sendo usadas com método e planejamento por espertalhões, tanto para especulação financeira contra a economia popular, como para fazer terrorismo eleitoral indevido.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Santander: banco que dá prejuízo a acionistas pode ser bom conselheiro?


O banco Santander do Brasil abriu seu capital ao público na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) em outubro de 2009, a R$ 23,50 cada ação. Menos de cinco anos depois, a matriz espanhola do banco fez, em 29 de abril de 2014, uma oferta pública para os acionistas minoritários – que detêm cerca 25% dos papéis do Santander do Brasil negociados na Bovespa – trocarem suas ações pelas ações da matriz do grupo espanhol, ao valor de R$ 15,31.

(...) Um prejuízo de 34,85% entre uma operação e outra. Leia a história toda aqui.

AéroAecio: Aécio usou ou não usou o aeroporto, eis a questão



Uma semana passou, e o presidenciável Aécio Neves (PSDB) ainda não respondeu se usava ou não o aeroporto de Cláudio para chegar à Fazenda da Mata, de propriedade de sua família, que fica a 6 km do local.

Aécio escapa da questão e torce para que o tema perca fôlego. Enquanto ele não responde, a polêmica e os consequentes danos causados pelo caso ficam circunscritos às acusações de suposto favorecimento da família na construção do aeroporto, já que a área pertencia a um tio de Aécio até ser desapropriada pelo governo de Minas. O tio, porém, questiona o valor da desapropriação na Justiça e ainda não recebeu o pagamento, o que enfraquece as acusações.

Se Aécio usava o aeroporto, o fazia à revelia das autoridades do País, já que o local não tinha autorização para operar. Como a construção foi bancada com dinheiro público e atendia à conveniência do presidenciável - o aeroporto não é usado pela população em geral, e familiares dele disseram que ficavam com as chaves do lugar -, o caso ganha outro contorno, com questionamentos éticos talvez maiores do que a acusação de suposto favorecimento familiar.

Apesar do silêncio estratégico do candidato, nos bastidores os tucanos já preparam munição sobre o assunto, cientes de que será difícil escapar dele O fato é que assunto ainda não foi esquecido, e Aécio, como político que aspira a comandar o País e que mantém um discurso crítico em relação ao governo, deveria ser o primeiro a querer esclarecer a questão. O que não dá é para o principal candidato da oposição não responder à pergunta e ainda protagonizar situações constrangedoras ao dizer que tudo já foi esclarecido, quando não foi.

Enquanto isso, o eleitor é obrigado a se contentar com a única resposta direta sobre o caso, a do primo de Aécio. Segundo ele, o candidato usava, sim, o aeroporto de Cláudio toda vez que visitava a fazenda.Estadão

Sogra de Paulinho da Força Sindical é indiciada por falsificar assinaturas de partido



A Polícia Federal indiciou a sogra do deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, e outras duas pessoas sob acusação de falsificarem assinaturas para a criação do Solidariedade (SD). O partido presidido pelo deputado foi constituído no ano passado, é a nona maior bancada da Câmara, com 21 deputados, e apoia a candidatura de Aécio Neves (PSDB) à presidência da República.

Francisca Gleivaní Gomes Silva é assessora parlamentar no gabinete de Paulinho, o genro, segundo consta do portal da Transparência da Câmara. A contratação de parentes é proibida por súmula do Supremo Tribunal Federal desde 2008, incluindo sogra.

Em maio deste ano, Paulinho recebeu o título de cidadão de São Caetano. Na justificativa, o vereador Cidão do Sindicato, autor da indicação, mencionou Samantha como esposa de Paulinho.

Propinão tucano:Marinho comprou imóvel com dinheiro de conta na Suíça, afirma Promotoria


Parecer técnico do Ministério Público revela que no mesmo dia em que transferiu US$ 1,15 milhão da Suíça para o Coutts Bank, banco nos Estados Unidos, o conselheiro fechou a compra do imóvel na capital paulista. A Promotoria apurou que os vendedores do imóvel onde reside Marinho mantêm conta na mesma instituição financeira para a qual ele fez a transferência. As duas operações - transferência do dinheiro e a compra - ocorreram no dia 28 de setembro de 1998.

Marinho possui, além do imóvel no Morumbi, uma ilha em Paraty (RJ), uma casa em Ubatuba (SP) avaliada em R$ 7 milhões, e outros bens. Para o Ministério Público, essa movimentação bancária é o primeiro indício importante que liga a aquisição de patrimônio pelo conselheiro a dinheiro de propina que o ex-chefe da Casa Civil do governo Mário Covas (PSDB) teria recebido da empresa Alstom.

De acordo com os promotores, Marinho recebeu propina para favorecer a multinacional francesa em contrato da área de energia do governo paulista, entre 1998 e 2001, denominado Gisel II - empreendimento da antiga Eletropaulo, sucedida pela Empresa Paulista de Transmissão de Energia (EPTE).

domingo, 27 de julho de 2014

Prejuízos de clientes no Santander pipocam nas redes após banco especular politicamente. #ForaSantander.

Dentista, cansada de se sentir lesada, deu seu testemunho de como uma despesa cancelada de R$ 240,00 no cartão, virou uma cobrança de R$ 20 mil, porque, segundo ela, o banco ignorou o cancelamento e os gerentes não cumpriram o que prometeram e orientaram. 

Em reportagem da TV Record, o Santander já aparecia em 2013 como o pior banco, campeão de reclamações pelos clientes. Os trabalhadores também denunciam demissões em massa de bancários no Santander Brasil, mesmo com o banco sendo lucrativo, só para enviar mais lucros ainda para ajudar a matriz na Espanha, que enfrenta forte crise econômica. Claro que com muitos problemas e menos funcionários para resolver, a tendência é piorar o atendimento ao cliente no Brasil.


O Banco Santander deu um tiro no pé ao anexar ao extrato da clientela "select" que ganha mais de R$ 10 mil por mês, uma mensagem politicamente panfletária e economicamente especulativa em seu extrato, contra a política econômica da presidenta Dilma que não agrada aos banqueiros (apesar dos lucros que os bancos saudáveis vem tendo no Brasil, até em consequência de haver muito mais gente com emprego e renda para usar os serviços bancários e comprar a crédito).

A polêmica levantada chamou atenção nas redes sociais, onde pipocam casos de horror de clientes que reclamam ou queixam de serviços, tarifas, cobranças indevidas e mau atendimento.

Ganhou visibilidade a notícia de que o Santander é campeão de reclamações de clientes em levantamento do Banco Central. Em seis meses apurados em 2014, o banco espanhol foi o pior em cinco meses.

Clientes narram casos de débito na conta de coisas não autorizadas, propaganda que não cumpre o que anuncia, atendimento ruim, e outros casos, como se observa no site ReclameAqui.



Nas redes sociais, gente indignada com o terrorismo eleitoral com a economia que ocorre desde as eleições de 1989, prega o boicote ao banco espanhol e nota-se um movimento de corrida ao banco para encerrar contas, cancelar cartões, ou fazer portabilidade de contas-salários e de financiamentos para outros bancos, inclusive ao descobrirem que a mágoa dos banqueiros com Dilma é porque juros e tarifas estão sendo oferecidos baixos nos bancos públicos, o que é bom para o bolso do cliente, mas diminui o lucro dos banqueiros.



Outra reportagem onde o Banco Santander é destaque por queixa de cliente:

sábado, 26 de julho de 2014

Desapropriação do aeroporto 'do Aécio' para o tio sobe para astronômicos R$ 21,5 milhões.


Aécio virar governador foi um bilhete premiado para a parentada do tucano na cidade de Cláudio (MG).

Agora é oficial. O governo de Minas Gerais desmente a versão de Aécio Neves (PSDB) de que a desapropriação da terra do tio do tucano, quando ele era governador, ficaria "só" em torno dos R$ 1 milhão já pagos em juízo.

A LDO, Lei de Diretrizes Orçamentárias do Estado de Minas para 2015, prevê pagar o valor de astronômico de R$ 20.587.174,50 (o documento pode ser conferido aqui na página 212, obtido no link oficial da Secretaria de Planejamento de Minas).

Somando aos R$ 1 milhão já pagos, se o valor previsto na LDO for confirmado judicialmente, o tio do Aécio vai ganhar dos cofres públicos R$ 21,5 milhões pelo pedaço de terra onde foi construído o aeroporto de Cláudio a 6 km da fazenda do próprio Aécio.

Nessa brincadeira os cofres públicos de Minas torram R$ 35,5 milhões (14 da construção mais 21,5 da desapropriação) para Aécio ter um aeroporto a 6 km da fazenda do próprio Aécio em Cláudio, onde ele gosta de passear e diz ser "sua Versalhes".

Em tempo: O que o comentarista da rádio CBN das Organizações Globo tem a dizer agora, já que afirmou que a família de Aécio "não teria levado vantagem"?

Ninguém quis conversar com Aécio...Aécio muda itinerário após visitar parque vazio em SP


O candidato à Presidência pelo PSDB, senador Aécio Neves, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o candidato ao Senado José Serra (PSDB) enfrentaram uma saia-justa neste sábado, 26, em ato de campanha na capital paulista.

O trio se encontrou no Parque da Juventude, na zona norte, local onde funcionou o antigo presídio do Carandiru, para fazer uma caminhada e registrar imagens com potenciais eleitores para o programa eleitoral. Mas encontraram o parque completamente vazio.

A situação ficou pior quando começou a chover. Entre os poucos eleitores que encontraram no local estava um grupo de jovens que jogava futebol em uma das quadras. À distância, os adolescentes pediram aos tucanos a legalização das drogas. O senador Aécio Neves não entendeu o que os garotos gritavam e apenas sorriu.

Em outro momento, uma professora da rede estadual de Ensino, Amabile Lopes, de 28 anos, aproximou-se de Alckmin e fez um agradecimento. O governador virou-se e estendeu a mão para a moça, que disse: "Muito obrigada por ter sido demitida na última sexta-feira".

O tucano, então, afirmou não haver demitido ninguém. "Quem demitiu foi a Secretaria", disse o governador. Antes de ir embora, disse à professora que iria ver o que tinha acontecido.

Alckmin, Serra e Aécio discutiram, então, uma outra alternativa para fazer campanha neste sábado chuvoso em São Paulo. Cogitaram ir até o Mercado Municipal, na região central, para comer sanduíche de mortadela, mas acabaram decidindo ir para Itaquera, na Feira Tecnológica da Zona Leste.Do Estadão

Dos 14 aeroportos prometidos por Aécio em Minas,só dois foram criados, e onde sua família tem fazenda



Governo de Aécio fez só 2 aeroportos novos em MG, apesar de ser pago com dinheiro público, os aeroportos foram construidos onde a família  do tucano possui uma fazenda...Mais uma vez a Folha de São Paulo publica nova denúncia. Ontem, durante campanha no Rio de Janeiro, Aécio foi questionado por jornalistas sobre o aeroporto de sua família. Aécio respondeu:  “O Estado de Minas não fez um, fez mais de 30 aeródromos”, afirmou. “Há uma exploração política É mais um míssil do jornal contra a candidatura de Aécio... A Folha, foi investigar e descobriu que Aécio mentiu, de novo! Só foram feitos dois, e ainda assim, para atender as fazendas de Aécio

Dos 14 novos aeroportos previstos para Minas Gerais pelo programa ProAero, criado por Aécio Neves (2003-2010), apenas dois saíram do papel: o Regional da Zona da Mata e o da cidade de Cláudio, onde a família do senador possui uma fazenda.

Nas cidades de Itabira, Sete Lagoas, Ouro Preto, Brumadinho, Lagoa da Prata, Barão de Cocais, Monte Santo de Minas, Mantena, Andrelândia, Chapada Gaúcha, Buenópolis e Volta Grande, as obras inicialmente idealizadas não foram executadas.

A construção do Aeroporto Regional da Zona da Mata teve início em 2005 e foi concluída em 2011. A companhia Azul opera voos comerciais no local para duas cidades.

A obra em Cláudio foi concluída em 2010, mas o empreendimento ainda não tem autorização da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para operar com o público. Empresários da cidade dizem que a demanda por uso de aviões particulares é reduzida.

Desde o governo Aécio, 29 aeroportos receberam dinheiro público de Minas Gerais. Em 26 deles, o dinheiro foi aplicado em obras de ampliação e adequação de aeródromos que já existiam. Um novo aeroporto em Itajuba entrou na lista no ano passado, mas as obras ainda não começaram

Leia também: Aécio usou lei delegada para contratar parentes no governo de Minas

Questionado, Aécio não diz se usou aeródromo

 Em visita nesta sexta (25) à favela de Vigário Geral, na zona norte do Rio, o candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB) evitou responder se alguma vez ele mesmo fez uso do aeroporto de Cláudio (MG).

A obra foi construída no terreno de um tio dele que foi desapropriado pelo governo do Estado no final de seu segundo mandato. “De novo? Essa matéria já foi mais que esclarecida.
 O Estado de Minas não fez um, fez mais de 30 aeródromos”, afirmou. “Há uma exploração política, e é natural que haja. Eu tenho a oferecer ao Brasil uma vida correta.”

Pista pavimentada em 2007 não tem registro até hoje

Um aeroporto cuja pista de pouso foi pavimentada pelo governo de Minas Gerais em 2007, quando o tucano Aécio Neves era o governador, até hoje existe sem registro na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o que impede que seja usado pelo público.

O aeródromo fica em Montezuma, uma cidade no norte do Estado em que a família do senador possui propriedades rurais. O município de 7.500 habitantes fica quase na divisa com a Bahia, a 750 km de Belo Horizonte. O senador é sócio da Perfil Agropecuária, dona das terras.

A pavimentação da pista custou R$ 309 mil, aos cofres públicos, segundo Aécio, mas o aeroporto não foi homologado como privado nem como público, apesar do investimento realizado com essa finalidade.

Tá explicado: Lucro do Santander caiu 15% no 1o. trimestre. Do Bradesco subiu 18%. Santander é campeão de queixas.

Está explicado porque o Santander anda acendendo vela para o Aécio ganhar as eleições e fazer do Planalto a república dos banqueiros, como era na época do FHC.

Parece que o banco espanhol enfrenta dificuldades para manter sua lucratividade nos últimos tempos. Também anda liderando o ranking de reclamações.

http://glo.bo/1hr19pv  e  http://glo.bo/1hO6EPl
http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios,santander-lidera-ranking-de-reclamacoes-do-bc-pelo-setimo-mes,164796e
Enquanto o Bradesco vai bem e teve um lucro 18% maior no primeiro semestre de 2014 em relação ao mesmo período de 2013, o Santander viu seu lucro encolher 14,9%. O lucro anual do Santander em 2013 já havia caído em relação a 2012.

Parece que, entre os bancos privados, o Bradesco se adaptou melhor ao mercado brasileiro com a ascensão da nova classe média, com a clientela de novos empreendedores que está sabendo aproveitar as oportunidades para ganhar dinheiro no Brasil, e sabendo se adaptar aos spreads de juros mais baixos devido à concorrência dos bancos públicos.

Já outros bancos privados parecem acomodados ao saudosismo de mamar nas generosas tetas do Banco Central da era FHC, quando Armínio Fraga chegou a elevar a taxa Selic chegou a 49%. E parece que estão ficando com a clientela pessimista que empaca seus negócios, não sabendo aproveitar as oportunidades que se abrem em tempos de mudança de cenários econômicos e de um novo quadro de melhor distribuição de renda no Brasil.

http://br.reuters.com/article/idBRSPE93O00I20130425
Mesmo com lucro em decadência, o Santander ainda teve lucro significativo no primeiro semestre. Além de ser campeão de reclamações, esta é outra desvantagem para o cidadão brasileiro manter conta no banco espanhol, porque os lucros são remetidos para a Espanha. Melhor ter conta e aplicar nos bancos brasileiros. Os lucros ficando no Brasil inclusive melhora a conta corrente de dólares que o Santander critica em sua carta especulativa.

Quem for contra mudar a conta e aplicações para um banco público, como o Banco do Brasil, a CEF ou o BNB, pelo menos mude a conta para um banco privado nacional, como o Bradesco. Parece mais sólido, mais bem administrado e não tem sabotado a economia especulando com pessimismo forjado e com eleições.

Leia também:
- Uma pergunta ao Santander: O banco periga quebrar se Dilma se reeleger?

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Aécio nomeou primo, dono de heliponto na fazenda da família, em cargo comissionado de Minas.



Em janeiro de 2007, Aécio Neves (PSDB), no início do seu segundo mandato para governador de Minas, utilizou-se de sua maioria na Assembleia Legislativa para obter uma carta branca para criar cargos comissionados e nomear pessoas (a chamada lei delegada). Nesse processo, o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-MG) usou a legislação para nomear Fernando Quinto Rocha Tolentino, primo de Aécio, em Cláudio, local do polêmico aeroporto construído na fazenda que era do tio. Leia mais aqui e veja mais documentos

Uma pergunta ao Santander: O banco periga quebrar se Dilma se reeleger?


É no mínimo estranho o banco Santander estar tão preocupado assim com o resultado das urnas, a ponto de incluir no extrato mensagens contra a presidenta Dilma Rousseff.

Claro que tem candidatos como Aécio Neves (PSDB) que é considerado um verdadeiro pai para os banqueiros, porque está disposto a fazer tudo o que eles mandam: gerar desemprego, arrochar salários e aposentarias, cortar programas sociais, sucatear educação e saúde pública, transferir patrimônio público para os banqueiros privados, promover tarifaços na conta de luz do cidadão para pagar mais dividendos da Cemig na Bolsa de Valores. Tudo isso para tirar dinheiro do povo e engordar mais ainda os lucros dos bancos. Por isso Aécio é idolatrado pelo mercado financeiro, e por isso Eduardo Campos tem seguido os passos de Aécio para ser aceito no clube dos 1% mais ricos e receber doações de campanha generosas.

Dilma joga mais duro com os bancos, acabou com a farra das tarifas bancárias sem controle, tabelando o que pode e o que não pode ser cobrado e para o correntista ter controle e ter como comparar com outros bancos. Dilma também colocou o Banco do Brasil e a CEF para competir agressivamente, ampliando sua fatia no mercado, e baixou os juros na ponta, forçando os bancos privados a baixarem também. E implantou a portabilidade de contas salário e de financiamento para o cliente poder trocar de banco.

Mas Dilma governa há quase 4 anos, além do tempo que foi ministra de Lula, e o resultado de todos os bancos sérios tem sido sólidos e lucrativos no Brasil, mesmo com bancos no estrangeiro, inclusive espanhóis, enfrentando dificuldades. Então fica a pergunta: O Santander está mal das pernas, com problemas? E, se está, se agravarão caso Dilma ganhar?

Acho que o banco deu um tiro no pé. Não é só a questão, já bastante grave, de um banco fazer proselitismo político em seu extrato e, talvez, alimentar um cenário econômico especulativo contra a economia popular. É pior porque fica parecendo desespero e deixa a própria clientela que tem dinheiro aplicado com a pulga atrás da orelha. Os clientes, mesmo os coxinhas que não gostam de Dilma, devem estar se perguntando se devem se preocupar com a solidez das aplicações no Banco.

Acho que o Santander deveria esclarecer melhor qual é sua real situação de risco, diante de cenários eleitorais que ele considera adversos para si e para seus negócios.

Tio de Aécio é réu em ação por ter construído pista de pouso em sua fazenda com dinheiro público


Pagamento de desapropriação é vinculado a quitação de pendência antiga
 Fazendeiro é réu em ação por ter construído pista de pouso em sua fazenda nos anos 80 com recursos públicos

Ao escolher uma propriedade de parentes para construir o aeroporto de Cláudio (MG) no fim do seu mandato como governador de Minas Gerais, o senador Aécio Neves (PSDB) abriu caminho para que seu tio-avô resolva uma pendência judicial que se arrasta há mais de uma década.As informações estão na Folha

Dono do terreno desapropriado para a construção do aeródromo, o fazendeiro Múcio Tolentino, 88, é réu numa ação movida pelo Ministério Público estadual para obrigá-lo a devolver aos cofres públicos o dinheiro gasto pelo Estado na construção de uma pista de pouso existente no local antes de o aeroporto ser feito pelo governo de Minas.

Para garantir o ressarcimento dos cofres públicos em caso de condenação, a Justiça mandou bloquear a área em 2001, o que impede Múcio de vendê-la. Com a desapropriação, feita sete anos depois, ele ganhou o direito de receber do Estado pelo menos R$ 1 milhão de indenização pela área.

Dependendo do desfecho da ação movida pelo Ministério Público, que ainda não foi julgada, esse valor poderá ajudá-lo a pagar pelo menos parte de sua dívida com a Justiça.

O aeroporto de Cláudio foi construído dentro de um programa lançado pelo governo com a justificativa de estimular o desenvolvimento do interior mineiro. Aécio e o governo dizem que escolheram a área de Múcio para o aeródromo por ser a opção mais econômica para o Estado.

Desde o domingo (20), quando a Folha revelou que o governo Aécio construíra o aeroporto no local, o candidato do PSDB à Presidência afirma que seus parentes não se beneficiaram com a obra, argumentando que o tio contesta o valor da indenização.

Mesmo assim, uma análise dos dois processos judiciais que envolvem o terreno deixa claro que os parentes de Aécio poderão ser beneficiados diretamente pela obra, mesmo que as ações demorem décadas para chegar a um desfecho na Justiça.

A origem do imbróglio é a pista de pouso, de terra batida, construída em 1983. A obra foi executada pelo município de Cláudio, quando Múcio era o prefeito, numa parceria com o Estado, à época governado por seu cunhado, Tancredo Neves (1910-85).Em valores atualizados, a obra financiada com verba do Estado e do município custou R$ 497,5 mil. Como a área era privada, a prefeitura de Cláudio (comandada por Múcio) deveria ter desapropriado o terreno (do próprio Múcio).

O Ministério Público diz que, ao não fazer isso, o tio de Aécio se apropriou indevidamente de um bem público, a pista de pouso, que na prática se tornou local de uso exclusivo da família por 25 anos.

Em 2008, quando decidiu fazer o aeroporto, o governo de Minas alegou urgência na desapropriação e pediu o desbloqueio do terreno, autorizado pela Justiça. Em seguida, fez um depósito judicial de R$ 1 milhão para garantir o pagamento da indenização.

A Justiça determinou que o valor só será pago ao tio de Aécio depois que houver um desfecho na ação de improbidade movida contra ele. Como a ação de desapropriação não terminou, o fazendeiro pode receber ainda mais pelo terreno. Ele pede R$ 9 milhões.

Procurada pela Folha , a assessoria da campanha de Aécio afirmou que o candidato não se manifestaria sobre o assunto

Boicote ao Santander. Fez 'panfletagem' política anti-Dilma nos extratos.


Jornal GGN - O Banco Santander enviou neste mês de julho aos seus clientes de alta renda um texto afirmando que o eventual sucesso eleitoral da presidente Dilma Rousseff "deve piorar a economia brasileira".

A análise foi impressa na última página do extrato dos clientes na categoria “Select”, com renda mensal superior a R$ 10 mil - e considerados os chamados "premium". Ainda de acordo com o "comunicado" da instituição bancária, caso Dilma melhorar nas pesquisas de intenção de voto, os juros e o dólar vão subir e a Bolsa, cair.

O texto vem sob o título “Você e seu dinheiro” e orienta os clientes do Santander: um cenário eleitoral favorável à petista reverterá “parte das altas recentes” na Bolsa.


Boicote ao Santander.

Quem ainda tem conta, ou poupança, ou empréstimos, ou cartão no Banco Santander?

Sugiro trocar de banco imediatamente. Se tem conta salário ou financiamento é só fazer portabilidade. Não é tão difícil, é só procurar a Caixa ou o Banco do Brasil.

É questão até de sobrevivência, de preservar nossos próprios empregos, salários, as aposentarias, as vendas de quem tem negócios, as oportunidades de estudar e cuidar da saúde para quem precisa da rede pública. Se nada disso o atingir, pelo menos por solidariedade à massa do povo que tem todas estas coisas a perder.

O banco usou extratos para clientes de renda acima de R$ 10 mil para disseminar críticas à Dilma e fazer proselitismo político de uma política econômica negativa ao interesse nacional e gananciosa para o mercado.

Sinceramente, o cenário apontado pelo Santander acho completamente falso, a não ser no curtíssimo prazo de dois meses quanto os tubarões da Bolsa de Valores vão jantar o dinheiro das sardinhas que acreditam no que eles dizem. É como na eleição de 2002 que esses mesmos diretores de bancos inventaram o lulômetro, dizendo que a eleição de Lula prejudicava a economia. Lula foi eleito e nunca o Brasil cresceu tanto. Aliás se Serra tivesse ganho as eleições em 2010, quantas vezes já teríamos quebrado? Teria a crise grega, a crise portuguesa, a crise espanhola, etc. Haja FMI e, claro, sacrifício no lombo do povo e exigindo privatizar a Petrobras e tudo o que existe de patrimônio público brasileiro a preço de banana.

O cenário econômico que me preocuparia muito seria se Aécio Neves ou Eduardo Campos se elegessem, com as medidas chamadas pró-mercado e anti-emprego que pretendem tomar.

Primeiro porque arrocho salarial e desemprego reduziria o mercado interno levando toda a economia para o buraco, inclusive com falência de empresas por falta de clientes com dinheiro no bolso, como ocorria no tempo de FHC.

Segundo porque os demotucanos querem colocar o Brasil de novo de joelhos diante dos Estados Unidos e Europa, em vez de explorarem as oportunidades que se abrem no mundo com os BRICs e com o G-20. O retrocesso demotucano faria do Brasil o que fizeram com a Grécia, e com o próprio Brasil na época do governo FHC.

Terceiro porque o plano demotucano é fazer um tarifaço na energia elétrica, no gás de cozinha, na gasolina e no diesel para dar mais lucros aos acionistas das estatais na Bolsa de Valores, mas tudo isso arrasa todo o resto do setor produtivo. O preço da energia elétrica e de combustíveis é insumo para todo o setor produtivo, até de adubos para a agricultura, reduzindo a competitividade dos produtos brasileiros.

Quarto porque o povo não iria admitir passivamente se sacrificar com desemprego e arrocho para contentar a ganância do Banco Santander e Itaú e de empresários inescrupulosos e sem-noção de limites e de responsabilidade. A maioria silenciosa dos trabalhadores brasileiros que não participou de protestos e greves iria aderir em massa, criando um ambiente muito ruim para economia, e que os demotucanos só sabem tentar resolver com a repressão em vez de diálogo, o que agravaria mais ainda as coisas.

Quinto porque os demotucanos querem cortar verbas sociais, sucatear a educação e a saúde pública exatamente como fizeram no governo FHC sob a desculpa de cortar gastos públicos. Mas isso interrompe todo o esforço para elevar de patamar a qualificação e a renda do trabalhador brasileiro, sobretudo os mais jovens, e transformar o Brasil em país desenvolvido.

Sexto porque os demotucanos querem concentrar renda de novo na mão dos 1% mais ricos (os donos da Santander tão dentro), enquanto os 99% ficam para trás, mais pobres, exatamente como ocorreu no governo FHC.

Sétimo porque os demotucanos querem fazer com o Banco do Brasil, com a Caixa, com o BNB o mesmo que fizeram com o Banespa: entregaram o ouro para o Santander.

Oitavo porque vão detonar a Petrobras, entregando o pré-sal para petroleiras estrangeiras e privatizando em fatias a Petrobrás.

Nono porque vão reverter o marco regulatório do petróleo ao modelo vendilhão da pátria do governo FHC. Isso tiraria o dinheiro do pré-sal que vai para educação nos próximos anos, desviando para pagar dividendos na Bolsa Valores. Os donos do Santander se dariam bem e ficariam mais ricos, mas o povo brasileiro ficaria condenado ao subdesenvolvimento.

Décimo porque com a Dilma, o Banco do Brasil e CEF oferecem juros mais baratos do que o Santander, e isso faz o banco espanhol reduzir os lucros. Se os demotucanos fossem eleitos, o BB e a CEF iriam agir como um cartel seguindo a tabela informal do spread de juros imposta pela Febraban (Federação de Bancos), como era no tempo do FHC.

Poderia enumerar mais uma penca de motivos, mas paro por aqui porque dez já é mais do que suficiente.

O Banco Santander mostrou que tem seus candidatos que são dóceis a seus interesses: Aécio e Eduardo Campos. E mostrou que não mede esforços para fazer campanha contra Dilma, porque ela joga duro com os bancos em defesa do interesse da maioria do povo brasileiro.

Cada um escolha o seu lado que acha bom para si. Quem se sente como os banqueiros do Santander que mantenha suas contas, financiamentos e cartões lá.

Quem se indigna com essa conspiração da ganância e sente oprimido por estes banqueiros gananciosos não vacile: mude de banco. Boicote o Santander e o Itaúúú. Mude de preferência para um banco público, como o BB, CEF, BNB. Inclusive os lucros não serão remetidos para a Espanha, ficarão na economia brasileira.

Não fortaleça quem quer dar golpe eleitoral nas urnas e colocar as raposas tomando conta do galinheiro no Banco Central, dos US$ 370 bilhões de reservas, do caixa do INSS, do FGTS, da Petrobras, e de meter a mão em nosso bolso, através de arrochos e tarifaços.

Em tempo: não espere pela Justiça Eleitoral agir, porque o banco vai dizer que é "apenas análise econômica", e sabemos que contra Dilma a "justiça" não costuma ver nada demais. É cada um que precisa boicotar diretamente o banco. Mesmo quem não tem dinheiro aplicado pelo menos não sustente o banco com as tarifas bancárias que ele cobra.