Pages

sábado, 19 de abril de 2014

Lula receberá título honoris causa de universidade espanhola

Esse será o 27º título desse tipo recebido por Lula.

O ex-presidente Lula viajará na semana que vem à Espanha, onde receberá na quarta-feira seu 27º título de doutorado honoris causa, desta vez concedido pela Universidade de Salamanca, informou neste sábado o Instituto Lula. Em comunicado, o instituto afirmou que Lula viajará na terça à Espanha e, no dia seguinte, será homenageado pelo "Campus de Excelência Internacional", fundado em 1218 e uma das universidades mais antigas do mundo.

O instituto lembrou que a Universidade de Salamanca já entregou o título de doutor honoris causa a outras personalidades como o escritor português José Saramago, o economista de Bangladesh e Nobel da Paz Muhammad Yunus, e o ex-presidente do Chile Ricardo Lagos, entre outros.

Segundo a universidade espanhola, citada no comunicado, Lula será homenageado pelo "impacto que a política educacional de seu governo teve, tanto no aumento da equidade social quanto na melhoria da eficiência". Os resultados, acrescenta o texto, foram "conquistados mediante a valorização de todos os recursos intelectuais de que dispõe esse grande país amigo, especialmente dos provenientes dos setores sociais menos favorecidos".

Depois da cerimônia, Lula viaja para Portugal, onde se reunirá na quinta-feira em Lisboa com o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho e com o presidente Aníbal Cavaco Silva. Na sexta, o petista participa da cerimônia pelos 40 anos da Revolução dos Cravos, que pôs fim à ditadura militar em Portugal, com a conferência "O 25 de abril visto desde fora", no Museu Oriente. Em seguida, retorna para o Brasil.  Informações da assessoria do Instituto Lula

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Voto nulo, conquistado pela mídia tradicional, virou o fenômeno da eleição



A pesquisa Ibope divulgada na noite desta quinta-feira (17) confirma que o fenômeno destas eleições estão sendo os votos brancos e nulos. Em primeiro lugar na pesquisa apareceu a presidenta Dilma Rousseff (PT) com 37% das intenções de votos. Em "segundo lugar" vêm os votos brancos e nulos, com 24%, bem acima dos candidatos de oposição. Em terceiro, aparece ....Leia mais aqui

Eleitores de Aécio dizem não ter certeza se vão comparecer às urnas



Pesquisa Ibope divulgada pelo jornal O  Estado de São Paulo   mostra que o eleitor de Aécio Neves (PSDB) é o menos entusiasmado em comparecer às urnas. De acordo com os números, 76% dos que declararam voto no tucano disseram que vão votar "com certeza". Essa convicção chega a 83% entre os eleitores de Dilma Rousseff (PT) e de Eduardo Campos (PSB). O porcentual de eleitores de Aécio que dizem que "provavelmente" irão votar é de 17%, contra 14% dos eleitores de Dilma e 14% dos de Eduardo.

Entre os eleitores do tucano, 4% dizem que com certeza não irão votar contra 2% dos de Dilma e de Campos.

Dos entrevistados que declararam que com certeza irão comparecer às urnas, 78% estão no Nordeste, onde Dilma tem a maior intenção de votos, contra 67% no Sul e 70% no Sudeste, onde Aécio tem seu melhor desempenho.

Apesar disso, é Campos quem tem o maior porcentual de eleitores que disseram que, se o voto não fosse obrigatório, não compareceriam às urnas: 50% responderam que não votariam, contra 38% dos de Aécio e 35% dos de Dilma.

A pesquisa foi feita entre os dias 10 e 14 de abril e foram ouvidas 2.002 pessoas. A margem de erro é de dois pontos porcentuais.

Pesquisa do Ibope não veio boa para Dilma, mas veio muito pior para oposição.


A pesquisa Ibope divulgada ontem apontou queda de 3 pontos para Dilma (tinha 40% e caiu para 37%). Mesmo assim, esse número, se for o resultado das urnas, signfica vitória com folga no primeiro turno, já que todos os demais candidatos somam 25%.

Tem coisas esquisitas na pesquisa que levanta suspeitas, mas não é bom negligenciar, até porque a presidenta foi alvo de intensa propaganda negativa disfarçada de noticiário. Logo, não é surpresa ter caído alguns pontos.

Porém a pesquisa veio muito pior para a oposição. Os adversários de Dilma estão empacados há meses. Nem quando ela cai, os outros sobem. Não serve de desculpa dizerem que são "desconhecidos", porque seus nomes estão em pré-campanha no noticiário há mais de um ano. Se não sobem é porque não conseguem ser atrativos. A desculpa servia para não liderar as pesquisas, mas não serve para justificar não subir. A verdade é dura: Aécio Neves e Eduardo Campos são ruim de povo.

A preocupação da campanha de Dilma tem que ser com a estratégia oposicionista de "sangramento", ou seja, desconstruir sua imagem via imprensa demotucana, para que o eleitor primeiro fique "sem candidato" e depois tentar emplacar um oposicionista no vazio deixado. As chances de dar certo para a oposição são menores do que de dar errado. Dilma tem demonstrado resistência, mantendo o favoritismo, mas não é bom brincar. Algum resultado a estratégia de "sangramento" está dando, com queda na popularidade sem que haja motivos reais para isso.

Rombo deixado pela corrupção no governo tucano de SP pode chegar a R$ 232 milhões



Deu no R7....Desde o início da atual gestão do governo tucano no Estado de São Paulo, pelo menos R$ 232 milhões podem ter ido parar nos bolsos de empresários e políticos em negócios suspeitos e sob investigação.

Com a verba seria possível construir cerca de 480 UBSs (Unidades Básicas de Saúde). O dinheiro também seria suficiente para erguer 200 creches (cada uma com capacidade para atender 100 crianças) ou construir 40 escolas (para 700 alunos cada).

O propinão tucano do Metrô e da CPTM e da CPTM, por exemplo, pode ter repassado R$ 197 milhões em propina aos envolvidos, segundo inquérito da PF (Polícia Federal).

O caso veio à tona em maio de 2013, após a empresa alemã Siemens fez uma denúncia ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), o órgão antitruste do governo federal, sobre a formação de um cartel entre multinacionais para superfaturar obras e serviços de trens e do Metrô

O pagamento de propinas a autoridades estaduais e diretores de empresas públicas também está sendo investigado.

Entre os políticos que são alvos da investigação estão importantes secretários de governo do Estado de São Paulo, como Edson Aparecido (chefe da Casa Civil), José Aníbal (Energia), Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos) e Rodrigo Garcia (Desenvolvimento Econômico).  Todos negam as acusações.

Mas esse é apenas o mais recente escândalo do governo estadual. Em 2011, no início da gestão, o governador Geraldo Alckmin se deparou com um suposto desvio de mais de R$ 30 milhões dos cofres do Detran-SP..

A da Corregedoria da Polícia Civil suspeitou de um contrato para prestação de serviços, firmado entre 2000 e 2007. Segundo as investigações, os salários dos empregados da empresa terceirizada eram, no papel, muito superior ao real. A suspeita era que a diferença ia para o bolso de delegados.

Médicos

Meses depois, surgiu a história de médicos que recebiam dinheiro público, mas não iam trabalhar. O caso pode ter gerado um ônus de R$ 5 milhões ao cofres do governo.

A investigação da polícia e do Ministério Público indicou que os médicos recebiam salários de R$ 15 mil por mês sem trabalhar. O escândalo motivou a demissão do então secretário estadual de Esporte, Lazer e Juventude, o neurocirurgião Jorge Roberto Pagura.

Diante da crise, o governador Geraldo Alckmin determinou a realização de auditorias em todos os hospitais do Estado de São Paulo.

Emendas

Ainda em 2011, um integrante da base aliada do governo Alckmin, o deputado estadual Roque Barbiere (PTB) denuncia a existência de um esquema de venda de emendas parlamentares..

Segundo a denúncia, os deputados tinham uma cota de R$ 2 milhões para emendas ao Orçamento, lei que determina as despesas e receitas do governo do Estado.

Com essa carta na manga, os deputados negociavam com empreiteiras e prefeituras a execução de obras e, em troca, cobravam propina, segundo Barbieri.

A denúncia respingou no secretário estadual de Meio Ambiente do governo de São Paulo, Bruno Covas. O político negou envolvimento. O Conselho de Ética da Assembleia investigou o caso, mas não produziu relatórios.

A última investigação em curso contra a atuação do governo estadual recai sobre os pedágios. Há uma semana, a oposição ao governo atual na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) conseguiu aprovar a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as política de preços praticados nos pedágios do Estado.

FonteR7

Apesar do racionamento, Governo tucano autoriza aumento de 5,44% nas tarifas da Sabesp


Não tem água em São Paulo. Mas, tem auemnto
Reservatório do Sistema Cantareira seco

O governo do Estado de São Paulo autorizou aumento de 5,44% nas tarifas da companhia estadual de águas, Sabesp, segundo comunicado divulgado pela agência reguladora estadual, Arsesp, na noite desta quinta-feira (17), véspera do feriado da Páscoa. As informações são da Agência de notícias Reuters

O "fator X", elemento da fórmula de cálculo do reajuste da tarifa que atua como redutor do IPCA, índice utilizado como base do reajuste, foi estipulado em 0,9386% e será deduzido nos próximos reajustes tarifários anuais da concessionária.

A Arsesp chegou a indicar na semana passada que divulgaria a conclusão da revisão tarifária na quinta-feira daquela semana, mas cancelou a divulgação sem explicar motivos.

Os atrasos no processo acontecem em meio à crise hídrica no Estado. O conjunto de represas do Sistema Cantareira opera há meses em níveis historicamente baixos.O sistema é o principal para o abastecimento da região metropolitana de São Paulo.

Em fevereiro, a agência havia divulgado proposta para reajuste das tarifas da Sabesp em 4,66%, percentual abaixo do pleiteado pela empresa e que desagradou investidores.

As ações da Sabesp acumulam queda de 18% neste ano. Nesta quinta-feira (17), antes da publicação da decisão da Arsesp, o papel fechou em alta de 2,7%, a R$ 20,90, enquanto o Ibovespa avançou 1,8%.

Segundo documento divulgado pela Arsesp, a Sabesp poderá aplicar "em data futura mais oportuna o índice de reposicionamento decorrente da revisão tarifária, procedendo-se ao recálculo e à atualização monetária dos valores aplicáveis, de forma a assegurar seu equilíbrio econômico-financeiro".

A empresa contingenciou seu orçamento de 2014 em R$ 700 milhões e ampliou para todas as cidades da região metropolitana de São Paulo que atende programa de incentivo à economia de água, que dá desconto de 30% nas contas dos consumidores que reduzirem seu consumo em 20% segundo a média dos 12 meses anteriores.

Nesta quinta-feira (17), o secretário estadual de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, Mauro Arce, afirmou que o governo paulista agora estuda implantação de penalidades para consumidores da região metropolitana que não economizarem água.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Atrasado, Estadão noticia bomba no colo de Alckmin: Propinão tucano aparece na Op. Lava Jato.

Nós publicamos aqui no dia 12, antes de todo mundo, a nota "Bomba no colo de Alckmin: Doleiro preso com Youssef recebeu dinheiro no esquema do propinão tucano da Siemens."

Ontem, no dia 16, com quatro dias de atraso, o jornal Estadão publicou discretamente esta mesma notícia.

Só que conseguiu a proeza de nem citar as palavras metrô, trens, tucanos, PSDB, governo Alckmin. Quando o acusado é tucano vira "agentes públicos brasileiros" no Estadão.


Nem mesmo a suave palavra "cartel" aparece, para o desavisado leitor não ligar o nome à pessoa.

O jornalão teve um súbita amnésia na hora de escrever a matéria, citando apenas "caso Siemens" como se o "caso Siemens" não fosse o escândalo das propinas pagas para obter contratos no metrô e trens nos governos tucanos, inclusive do atual governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP).


Que vergonha, Aécio: ANEEL desmente na TV propaganda enganosa da CEMIG



Essa notícia o novelão tucano chamado Jornal Nacional da TV Globo escondeu.

Os tucanos mineiros quiseram dar uma de malandros e colocaram na TV uma propaganda enganosa da Cemig (empresa de eletricidade controlada pelo governo de Minas), culpando o governo federal pelo aumento na conta de luz que a empresa é que exigiu.

A propaganda mentia, dizendo que a Cemig apenas cumpria a tarifa determinada pela ANEEL (Agencia Nacional de Energia Elétrica) do "governo federal".

A verdade é outra. A Cemig pede aumento e a ANEEL apenas autoriza o valor máximo que a Cemig pode cobrar, com base em cálculos de custos, para não haver abuso. A Cemig pode cobrar qualquer tarifa abaixo do máximo, se quiser.

No reajuste deste ano a Cemig pediu absurdos 29,74% de aumento. A ANEEL autorizou no máximo 14,24%, sendo que a Cemig poderia aplicar um reajuste menor, até este limite autorizado.

O desmentido se espalhou rapidamente nas redes sociais.

Ontem a Aneel veiculou na TV mineira propaganda de esclarecimento público desmentindo as informações falsas da Cemig. Vexame total dos tucanos. Se tivessem ficados quietos, não teriam dado esse tiro no pé.

Serviu para os cidadãos desavisados conhecerem como a tucanada é de fato, antes de serem enganados nas urnas.

Até o canal esportivo ESPN comentou:

Pesquisas internas do PSDB apontam crescimento de Padilha

Deu no Poder Online:
(....) As pesquisas internas do PSDB, por enquanto, apontam Alckmin com algo em torno de 40% das intenções de voto. Skaf hoje fica na faixa de 13%, de acordo com os tucanos. Mas Padilha já se aproxima do peemedebista, com 9%. Gilberto Kassab completa a lista, com 3%.
Humm... Alckmin "com algo em torno de 40%", em se tratando de uma pesquisa tucana, significa que ele está abaixo de 40%.

PF até agora não encontrou nada contra a Petrobras de fato. E agora, PIG?


A Polícia Federal apresentou o relatório da primeira parte da Operação Lava Jato, e até agora não encontrou nada que envolva a Petrobras de fato. Claro que outras investigações ainda estão em curso e pode ser que apareçam falcatruas de um ou outro mau funcionário.

Mas só esse fato já mostra o quanto o noticiário forçou a mão, atacando a Petrobras de forma leviana e politiqueira.

A própria revista Época acusou o golpe.

O departamento jurídico da Petrobras precisa passar um pente fino nas reportagens que atacaram a empresa com informações falsas ou injuriosas e exigir direito de resposta exemplar.

Nem é questão de política, é questão de boa gestão técnica que qualquer grande empresa, inclusive privada, que tem uma marca e reputação a zelar, faria.

Vox Populi confirma o triunfo de Dilma, que trabalha, sobre oposição que atrapalha


O novelão tucano nos telejornais da TV Globo, com enredo anti-Petrobras e anti-Dilma, não conseguiu mudar o quadro de intenções de votos.

A pesquisa Vox Populi, realizada entre os dias 6 e 8, mostrou o quadro estável, com Dilma vencendo com folga no primeiro turno.

Foi-se o tempo em que o eleitor era bobo. Quando os ataques são exagerados demais, o cidadão percebe. Vê quem trabalha e quem atrapalha.

Quem caiu nas pesquisas foi a audiência do novelão tucano chamado Jornal Nacional. Na sexta-feira bateu recorde negativo, ficando abaixo de 19 pontos na grande São Paulo.

Eduardo Campos e o calote em família aos cofres públicos do senado

O rolo da mãe do ex-governador Eduardo Campos (PSB), Ana Arraes, com apartamento do Senado continua.

Ana Arraes é ministra do TCU em Brasília e mora em um apartamento do Senado sem pagar a taxa de ocupação, que deveria pagar segundo a administração do Senado.

Eis a nota de Ilimar Franco sobre o assunto:

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Aécio busca apoio na dissidência do PMDB do Rio, mas só atrai 18 pessoas



O pré-candidato às eleições presidenciais Aécio Neves (PSDB-MG), apesar de ter residência no Rio de Janeiro, está com dificuldades para ter um palanque no estado. Com o PSDB fluminense carente há anos de uma liderança boa de voto – tentou lançar Bernardinho no ano passado – mas o técnico de vôlei declinou do convite. Sondou Fernando Gabeira (PV-RJ) que também não demonstrou interesse.O ex-prefeito Cesar Maia (DEM) tentou formalizar o apoio, mas Aécio, até o momento, o está.... Leia mais aqui

Polícia Federal flagra homem de confiança de Eduardo Campos pedindo dinheiro para Youssef


O ex-presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e irmão do ex-ministro Fernando Bezerra, Clementino de Souza Coelho, foi flagrado pela Polícia Federal, durante a Operação Lava Jato, pedindo dinheiro ao doleiro Alberto Youssef. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Clementino presidiu a Codevasf por um ano, escolhido por seu irmão, que é homem de confiança do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, candidato do PSB à Presidência.

De acordo com a publicação, a PF encontrou em e-mails comprovantes de depósito em valores fracionados para "João", e também pedidos de dinheiro para "Maria" e "Fábio". Nas mensagens, números citados por Youssef como os dos CPFs dos favorecidos correspondem aos documentos de João Clementino de Souza Coelho e Maria Cristina Navarro de Brito, filho e mulher de Clementino, respectivamente. Segundo a polícia, "Fábio" é Fábio Leivas.

Em uma das mensagens, do dia 30 de janeiro de 2014, Clementino enviou a Youssef dados de uma conta bancária, e disse: "assim sendo fica: Fabio 30, Maria aprx (aproximadamente) 35, joao 60". No dia seguinte, o ex-presidente da Codevasf escreveu em nova mensagem: “por favor, assegure que as entregas serão feitas hoje ainda os 3 endereços fornecidos, sendo JOAO 60, FABIO 30 E MARIA OS 35...".

No dia 4 de fevereiro, Youssef enviou os dados bancários de João Clementino e Maria para um contato que, segundo a PF, seria um auxiliar do doleiro. Esse contato respondeu então "60.000,00" embaixo do nome de João e "35.289,00" embaixo de "Maria". Segundo o jornal, a PF apreendeu comprovantes de depósitos em nome de João Clementino, em diversos valores.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Rosa Weber manda Aécio aguardar sua decisão. Uma forma elegante de mostrar a porta da rua ao tucano.



Um bando de senadores demotucanos, encabeçado pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG) resolveram ser inconvenientes e desrespeitosos com a independência entre poderes.

Tentaram "encostar a faca no pescoço" da ministra Rosa Weber, do STF, para pressioná-la a julgar ao gosto deles um Mandato de Segurança do qual ela é relatora e é do interesse politiqueiro deles sobre a disputa por CPI no Congresso. Fizeram um inconveniente pedido de audiência à ministra.

Segundo a agenda oficial da ministra, oito senadores pediram para ir "encostar a faca no pescoço". Apareceram lá com suas equipes de filmagem da TV Globo.

Pelo noticiário, a segurança do STF só deixou entrar uma comitiva de três senadores. Portanto, cinco podem ter sido barrados ou desconvidados a comparecer ou algo parecido, não sei ao certo.



Entraram só os senadores Aécio Neves (PSDB-MG), Aloysio Nunes (PSDB-SP) e José Agripino Maia (DEMos-RN).

Não entraram os senadores Álvaro Dias (PSDB-PR), Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Cristovam Buarque (PDT-DF), Pedro Simon (PMDB-RS).

Em pouco tempo a ministra despachou os três dizendo que só se pronunciará sobre o Mandato de Segurança a partir da próxima terça-feira. Foi uma forma elegante de mostrar a porta da rua para os demotucanos, pela inconveniência de vir querer constrangê-la em decisões do judiciário, usando inclusive a imprensa para criar um "clima de encostar a faca no pescoço" como provavelmente se verá esta noite no novelão tucano chamado Jornal Nacional.

Leia também:
- Rosa Weber poderia expulsar Aécio de seu gabinete ou dar voz de prisão se "encostar a faca no pescoço".