Pages

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Médicos batem o ponto e vão embora sem trabalhar, em maternidade do governo Alckmin



Não sei o que é pior, se os médicos pagos com dinheiro público da saúde que não trabalham, ou se é o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), que deixa isso acontecer em uma maternidade sob seu governo.

Afinal Alckmin, formado em medicina, está do lado de quem? Do corporativismo de seus colegas, maus médicos, ou do cidadão doente que está na fila precisando do atendimento na rede pública?

E o Conselho Regional de Medicina de São Paulo? Vai continuar fazendo passeatas do interesse dos empresários de planos de saúde e da medicina privada, ou vai tomar tenência e aplicar punições à corrupção médica?

E o Ministério Público de São Paulo? Para que serve os promotores e procuradores ganharem uma fortuna de salário e benefícios se não conseguem nem defender o cidadão doente dessa farra com dinheiro público. Bastaria os promotores (e não é só do MP e São Paulo) fazer visitas frequentes nas unidades de saúde para conferir se os médicos trabalham de verdade ou são fantasmas.


 

6 Comentários:

zequinhabsb disse...


Rapaz, se os brasileiros se unirem, conseguirão limpar o serviço público. Isso aí é somente a ponta do iceberg.

Nos Estados Unidos, por exemplo, se investigam os abusos do sistema de saúde onde pessoas tiram licensa paga por motivos médicos e se acaba comprovando que é tudo falso.

O que tem de servidor público em licensa médica (atestado médico) viajando às custas do nosso bolso não é brincadeira.

VAMOS LIMPAR A FOLHA DE PAGAMENTO PÚBLICA!!!!!!

Lembrem-se que esse exemplo aí se constitui em ESTELIONATO.

Carlos Ribeiro disse...

A Dilma lançou o "Mais Médicos". O Alckmin, bem o Alckmin lançou o "Maus Médicos".

Anônimo disse...

Caro Zé, sempre comentei com meu perfil, mas hoje tenho que comentar anônimo. Segundo meu código de ética qualquer declaração em meios leigos poderei ser punido. Eu e minha esposa trabalhamos na área da saúde e da educação. Ela, da mesma forma tbém não pode dar qualquer declaração pois poderia sofrer sansões contra suas aspirações profissionais.
Pois bem, essas práticas adotadas pelos médicos, dentistas, professores diretores de escolas estaduais e municipais tornou-se tão comum que já faz parte dos procedimentos nas áreas. Você sabe disso. O problema é a classe vir e exigir algo onde a falha a ser corrigida depende única e exclusivamente da quebra deste ciclo vicioso. O médico precisa trabalhar em locais onde possa bater seu ponto e correr para seu consultório particular sem que ninguém note. Por isso, trabalhar(trabalhar mesmo!!)não vale a pena em cidades pequenas. Eles seriam notados. Da mesma forma, Dentistas.
Diretores não exigem de seus professores e coordenadores. Estão cumprindo horário para conseguir sua(s) aposentadoria(s).
Assim, a educação e a saúde de qualidade é exigida pela população, na qual inclui estes mesmos profissionais, que hipocritamente cobram do Governo Federal(?).
Logicamente, fica aqui meu elogio aos bons, que pela falta de tempo e disponibilidade, muitas vezes deixam de se pronunciar e opinar pela dedicação ao seu trabalho.

Luiz disse...

Pra que o programa mas médico do governo federal, é isto que esses grevista HIPÓCRITAS querem é ganhar sem trabalhar o povo não é mas bobo, o povo não ver mas o LIXO dessa MÍDIA suja que protege esses BANDIDOS !!!!!! MOSTRA ISTO BANDIDA REDE GLOBO.

Edir disse...

Se a PF fizer uma batida em todos os hospitais públicos no Brasil,terá uma grande surpresa, e que surpresa! Este näo é o primeiro caso no estado de Säo Paulo, uns dois anos atrás era uma máfia atuando em várias cidades do interior, batia ponto e iam para consultórios atender particular ou conveniados, depois veio o caso do SAMU, onde a coordenadora assinava o ponto dos colegas com um dedo de silicone. È triste, e como é triste, quando a gente vai ao hospital com dor, ou acompanhando um parente e depara com a falta de atendimento por falta de médico. A gente espera horas num ambiente näo täo agradável . Eu confesso que tenho até depressäo. Sei que temos ótimos profissionais comprometidos com os usuários do SUS, mas infelizmente é uma menoria. Como podemos critiar os políticos se o povo tem a mesma postura se tiver chance fará o mesmo. È tirar dinheiro público sem trabalhar. Para mim profissionais que se comportam assim säo assassinos camuflados. Cometem dois crimes, um é bater o ponto e näo trabalhar, outro é enganar a sociedade. Cadeia para eles é o que eu quero. Cassar o CRM, tirar o direito de praticar a profissäo.

castro carvalho disse...

"Afinal Alckmin, formado em medicina, está do lado de quem? Do corporativismo de seus colegas, maus médicos, ou do cidadão doente que está na fila precisando do atendimento na rede pública?"

Reposta:
1) Alckmin fica do lado do cidadão doente que está na fila precisando do atendimento na rede pública SÓ no DIA das ELEIÇÕES.
2) Os outros dias do seu mandato fica do lado do corporativismo de seus colegas, MAUS MÉDICOS, em se tratando de um politico do PSDB isso é comum.

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração